Músicos e produtores lamentam pandemia e cancelamentos de eventos

Thais Perez @_thaisperez | @_thaisperez

Os cancelamentos e adiamentos de eventos culturais por conta do surto de Coronavírus causaram prejuízo à músicos e produtores culturais em toda a região.

Depois de prefeituras terem cancelado oficialmente todo evento público que possa causar aglomerações, algumas casas de shows e bares privados também decidiram por restringir seus eventos.

Gui Alves, produtor do Bangue Estúdio e organizador do Festival Geleia em Taubaté está seguindo todas as recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde), cancelando todos os shows.

"É muita incerteza e acho que estamos todos nos sentindo meio de mãos amarradas, esperando os próximos capítulos", disse ele.

Dom de Oliveira, produtor cultural e vocalista da banda Dom Pescoço, relata uma total "confusão" no meio artístico e cultural. "Afetou toda a minha busca diária por shows e eventos futuros, pois já não encontro shows nem editais abertos próximos para me inscrever", conta o músico

A falta de shows representa a perda do ganha pão para músicos, que no momento descrevem falta de perspectiva para a classe artística.

"Os músicos estão se perguntando como vão sobreviver a essa situação, tem contas. Se não apresentam não ganham e infelizmente a gente não tem uma medida que saneie isso", comenta Bruno Mantovani, produtor cultural e vocalista do Saltines.

AUXÍLIO.

Na Alemanha, o país vai oferecer assistência financeira para músicos e artistas afetados pelos cancelamentos. "Essa seria uma solução interessante para nós, mas o Brasil está aquém disso neste momento", disse Mantovani.

"Toda nossa perspectiva é abaixo do normal dentro de um mercado já extremamente debilitado", completa Dom.

O vereador Wagner Balieiro (PT) protocolou nesta terça-feira um requerimento solicitando que para que o poder público garanta aos orientadores de oficinas culturais e aos artistas selecionados em editais com recursos da prefeitura sejam pagos durante os dias não trabalhados. Ainda não há resposta para o pedido..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.