CPI da Sabesp define as duas primeiras oitivas em Taubaté

Um ano após ter sido criada, a comissão convocou os dois primeiros depoentes: Alexandre Magno (secretário de Serviços Públicos) e Claudio Katayama (gerente regional da Sabesp)

Julio Codazzi @juliocodazzi | @jornalovale

Um ano após ter sido criada, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Sabesp definiu as suas duas primeiras oitivas.

Os primeiros a prestarem depoimento à comissão serão o secretário de Serviços Públicos, Alexandre Magno, e o gerente regional da Sabesp, Claudio Katayama.

Apresentados pela CPI, os requerimentos de convocação foram aprovados na sessão ordinária realizada pela Câmara de Taubaté na última terça-feira.

As duas oitivas estão marcadas para o mesmo dia, 16 de abril. Magno será ouvido primeiro, às 14h, para prestar esclarecimentos sobre quatro temas: gestão do contrato com a concessionária; fiscalização da qualidade dos serviços ofertados; investimentos realizados pela empresa desde 2017; e registros e acompanhamento das reclamações realizadas por munícipes sobre os serviços prestados.

Na sequência, às 15h30, Katayama deve ser questionado sobre cinco diferentes temas: investimentos realizados pela concessionária desde 2017; futuros investimentos a serem realizados; lucro que a empresa apresentou em suas operações em Taubaté nos últimos três anos; possível privatização da empresa; e dados e valores sobre os royalties pagos ao município.

DEMORA.

Criada em março de 2019, a CPI da Sabesp tinha prazo inicial de 180 dias para concluir os trabalhos. Em agosto, o prazo foi prorrogado até o fim da atual legislatura, em dezembro de 2020.

O objetivo da comissão é investigar reclamações de desabastecimento e 'água suja'.

A única medida tomada até agora foi a aprovação de um requerimento, em maio de 2019, para cobrar esclarecimentos do governo Ortiz Junior (PSDB).

Na resposta, em junho passado, a gestão tucana alegou que "não tem registros significativos de reclamação da empresa quanto à ligação de água e esgoto, manutenções e falhas no abastecimento", mas deixou de esclarecer questionamentos como eventuais multas aplicadas à empresa nos 24 meses anteriores e qual foi o total de investimentos da Sabesp no município nos dois anos anteriores..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.