MP arquiva autodenúncia feita por vereadora Loreny

O Ministério Público arquivou uma autodenúncia que havia sido feita pela vereadora Loreny (Cidadania). A parlamentar de Taubaté havia solicitado que a Promotoria analisasse se houve alguma irregularidade na atuação de uma empresa ligada a ela, que presta serviço a órgãos públicos.

A autodenúncia teve como base uma reportagem publicada pelo jornal em setembro de 2018, que mostrou que a Planus Brasil Consultoria e Engenharia venceu uma licitação da Prefeitura de Potim relacionada a um programa do governo estadual. O contrato foi de R$ 790 mil.

A Planus foi fundada em novembro de 2012 por Loreny. Em novembro de 2016, após ser eleita vereadora, ela desligou-se da empresa, que hoje é administrada por seu marido. No despacho que indeferiu a representação, o promotor Horival Marques de Freitas Junior apontou que "não há indicação precisa a respeito de nenhuma irregularidade"..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.