Nossa Região

Com variante Delta circulando na região, Vale do Paraíba vira foco de preocupação do Estado

Com a variante Delta circulando em Pindamonhangaba e Guaratinguetá, Vale do Paraíba vira foco de preocupação do Estado pelo alto grau de contágio da mutação

Xandu Alves@xandualves10x
24/07/2021 às 01:08.
Atualizado em 27/07/2021 às 01:11
Tratamento. Variantes acendem alertas de especialistas na região (Adenir Britto/PMSJC)

Tratamento. Variantes acendem alertas de especialistas na região (Adenir Britto/PMSJC)

O coronavírus vem com tudo.

O governo de São Paulo apontou a Região Metropolitana do Vale do Paraíba com um dos principais focos de preocupação atualmente em razão da circulação da variante Delta do novo coronavírus na área.

Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde, informou que nove casos autóctones da variante foram identificados no estado, sendo sete na capital e dois no Vale, em Pindamonhangaba e Guaratinguetá, únicos casos identificados no interior até o momento.

"Estamos acompanhando os casos e atentos à circulação da variante Delta, que provocou aumento de casos e internações em países do exterior, como na Inglaterra", declarou Gorinchteyn.

ESTUDO.

Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, as duas cidades do Vale fazem parte de um levantamento genômico para avaliar mais amostras de pessoas da região e identificar outros contaminados pela variante Delta, que é considerada mais contagiosa.

"A situação nos preocupa muito, porque sabemos que a variante terá uma importância epidemiológica. Temos que tomar todo o cuidado. O Butantan lidera uma pesquisa genômica ao lado da Vigilância Epidemiológica do Estado e das cidades de Pindamonhangaba e Guaratinguetá, que estão tomando as providências no sentido de aumentar o número de amostras que serão sequenciadas", disse Covas em resposta à pergunta de OVALE na coletiva do governo estadual desta quarta-feira, no Palácio dos Bandeirantes.

Covas destacou que o Butantan está planejando um inquérito soroepidemiológico para ver a penetração da variante no Vale. "São medidas que visam nos dar um panorama e tomar as medidas compatíveis para fazer a contenção, se isso for necessário", afirmou o diretor do Butantan, citando que a Delta provocou aumento de contaminados e pacientes graves na Inglaterra, o que acende o sinal de alerta em São Paulo.

"Todos nós temos esperança crescente e os números da pandemia mostram isso. O governo não abaixou a guarda e pede que a população também mantenha os cuidados, mas os números comprovam a eficácia das vacinas", disse o vice-governador Rodrigo Garcia, também em resposta a OVALE.

A situação é mais preocupante em razão de mais de 40 mil pessoas no Vale terem deixado de tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Em todo estado, o número de faltosos chega a 642 mil.

Garcia declarou ainda a OVALE que o governo está estudando medidas para reforçar a aplicação da segunda dose, considerada fundamental para completar o esquema vacinal, principalmente contra a variante Delta do coronavírus.

VARIANTE

O surgimento de mutações, segundo a Secretaria de Saúde, é um evento natural e esperado dentro do processo evolutivo dos vírus.

Desde a caracterização genômica inicial do novo coronavírus, que causa a Covid-19, o vírus se dividiu em diferentes grupos genéticos.

"Algumas dessas mutações podem dar vantagens biológicas que facilitam a propagação dos vírus ou até provocar casos mais graves", informou a Secretaria de Saúde.

Atualmente, quatro variantes são consideradas "variantes de atenção" pelas autoridades sanitárias devido à possibilidade de aumento de transmissibilidade ou gravidade da infecção.

São elas: Gamma, Alpha, Beta e Delta, que é uma variante de preocupação no mundo todo, sendo responsável pelo aumento de casos em diversos países, inclusive na Europa.

O Brasil identificou 110 casos da variante Delta, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde na última semana. Entre esses pacientes, cinco evoluíram para a versão grave da Covid-19. Rio de Janeiro é o estado com o maior número de infecções detectadas até a última semana: 83..

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por