Nossa Região

Com casos confirmados na RMVale, variante delta se espalha e já atinge sete estados

Primeiros casos autóctones do interior do estado de São Paulo foram confirmados em cidades da RMVale e reforçam necessidade de manutenção de cuidados contra o vírus

Publicado em 17/07/2021 às 02:00Atualizado há 22/07/2021 às 12:05
Menino com espada (Divulgação)

Menino com espada (Divulgação)

A RMVale foi responsável por registrar os primeiros casos autóctones da variante Delta da Covid-19 no interior do estado de São Paulo. A informação foi confirmada depois de sequenciamento genético desenvolvido pelo Instituto Butantan nesta semana e reforça a premissa de que é necessário manter os cuidados diante de uma pandemia ainda sem fim anunciado.

Ao todo, além de São Paulo, há casos em Goiás, Paraná, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro -- este último, neste sábado, confirmou mais 63 casos da variante, do total de 380 amostras processadas. 

No Vale do Paraíba, as cidades com pacientes infectados pela variante originária da Índia foram Pindamonhangaba e Guaratinguetá. Em ambas, os pacientes não viajaram -- o que indica para a transmissão local da nova variante na região.

O médico imunologista Fernando Bizarria chama a atenção para as características da cepa que, por ser recente no país, ainda deve ter comportamento local observado.

“Essa variante é um pouco mais preocupante por causa da sua transmissibilidade. Segundo a OMS, o número reprodutivo básico efetivo da variante delta é 55% maior do que a variante alfa e 97% maior do que o coronavírus sem mutações. Porém, aqui no Vale, com o avanço da vacinação, os dois casos devem ser visto como um alerta de que os cuidados devem permanecer os mesmos”, disse.

CASOS.

Em Guaratinguetá, a prefeitura afirmou que a paciente de 29 anos teve contato com outras duas mulheres, de 49 e 75 anos, que também tiveram sintomas. A paciente mais nova havia tomado uma dose da vacina e as outras duas haviam concluído o processo de imunização. Todas passam bem.

Já em Pindamonhangaba, o paciente infectado pela variante delta foi um homem de 44 anos, que atua como guarda em Aparecida. Ele esteve em isolamento desde o início dos sintomas, procurou atendimento, mas também não precisou ser internado. A prefeitura disse também que nenhum parente direto ou colega de trabalho do homem teriam apresentado sintomas da doença.

Segundo o Butantan, até então, no território estadual só havia confirmação de um caso autóctone de delta na capital e outro importado do município de Campos dos Goytacazes (RJ). Segundo o último relatório de sequenciamento divulgado pelo instituto, a RMVale ainda registra a maior concentração dos casos originários da variante gama (P.1), com 85%.

“É sempre muito importante lembrarmos que a pandemia não acabou e que os cuidados precisam continuar, mesmo com a flexibilização e com a redução dos casos”, acrescentou o médico a OVALE..

Pandemia. Guaratinguetá foi uma das cidades que decidiu não acatar as normas da fase vermelha (Bruno Motta/Photo Press)
vírus (Reprodução)
Sequenciamento (Divulgação)
Paciente foi testada com coronavírus em Pindamonhangaba (Divulgação)
Butantan (Divulgação)
Covid-19. Coronavirus Outbreak Design with Falling Virus and Blood Cell in Microscopic View on Light Background. Vector 2019-ncov Corona Virus Illustration on Dangerous SARS Epidemic Theme for Banner (freepik)
Covid (NIAID)
Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: