Prefeito de Ilhabela registra boletim de ocorrência contra o Estado por quantidade de lotes de vacinas

Da Redação | @jornalovale

O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci (PV) registrou um boletim de ocorrência nesta última quarta-feira pelo suposto envio de frascos de vacina com quantidades menores que as informadas pelo Programa de Imunização do Estado.

Cada frasco contém 10 doses, porém a cidade registrou oito frascos com doses abaixo do divulgado. Alguns frascos vieram com oito doses e as notificações foram encaminhadas ao Centro de Vigilância Sanitária do Estado.

A Secretaria de Saúde de Ilhabela alega que tem recebido doses insuficientes de vacinas para aplicar no público alvo da campanha estadual.

Até o momento, a cidade recebeu 4.642 doses e aplicou 4.140, sendo 2.941 de 1ª dose e 1.219 de 2ª dose. As doses restantes (482) são destinadas, na maioria, para segunda dose de idosos.

“Não dá para entender o critério do Governo do Estado. Enquanto tem cidades recebendo doses de acordo com o público e atingiram 20% de aplicação, as cidades do Litoral Norte estão recebendo doses insuficientes. Hoje nosso déficit é de pelo menos 1,5 mil doses. Além disso, os frascos estão chegando com menos de 10 doses, isso é grave e por isso estamos nos resguardando registrando boletim de ocorrência. Queremos transparência”, disse Colucci.

A Secretaria de Saúde de Ilhabela informa que a vacinação está acontecendo na cidade de acordo com a quantidade de doses recebidas e o número de cadastrados como público alvo.

Por isso, como estratégia, Ilhabela agenda por telefone com o paciente a data da aplicação da vacina conforme a chegada de remessas. Essa medida é para que o idoso não se desloque até a UBS sem necessidade.

O prefeito já demonstrou interesse para a compra de vacina disponível no mercado e aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A ideia é que a cidade, assim que liberada, adquira pelo menos 100 mil doses de vacina.

OUTRO LADO.

Em nota, o governo do estado rebateu as declarações do prefeito de Ilhabela e negou o envido de doses a menos.

"Não houve, de forma nenhuma, redução do número de doses da vacina produzida pelo Butantan. Cada frasco contém nominalmente 10 doses de 0,5 ml. É importante que os profissionais de saúde dos municípios estejam devidamente capacitados para manusear as ampolas, retirando as doses sem desperdícios. Todas as ampolas passam por rigoroso processo de inspeção de controle de qualidade antes de serem liberadas para o Programa Nacional de Imunizações. O volume envasado por frasco está devidamente autorizado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)", disse o estado em nota.

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.