Com missas restritas, Santuário tem retorno de público gradativo

Após mais de quatro meses, Igreja volta a receber fiéis para celebrações com limitação inédita em sua história

Thaís [email protected]_thaisleite | @jornalovale

O Santuário Nacional de Aparecida, capital da fé católica no país, registra um retorno gradativo de fiéis em meio à pandemia da Covid-19.

Isso, porque embora as celebrações presenciais tenham voltado a ser realizadas, as restrições ainda impedem aglomerações, algo antes rotineiro na casa de Nossa Senhora, Padroeira do Brasil.

Pelas normas, o espaço que recebia até 35 mil religiosos por missa, agora acolhe o número máximo de 1.000 peregrinos por vez. As restrições incluem, por exemplo, o uso obrigatório de máscaras de proteção, distanciamento social e a aferição de temperatura daqueles que vão integrar as celebrações.

Decreto da prefeitura em vigor barra ainda a entrada de ônibus e vans destinadas ao turismo religioso -- o que já teria influenciado no número de pessoas que chegam ao espaço.

"Imaginamos que o retorno será gradativo, tomara que seja bastante gradativo mesmo para que a gente possa receber com segurança, receber com qualidade. As pessoas que vem não podem se descolar da sua responsabilidade pessoal", afirmou o padre Luiz Claudio Alves de Macedo, ecônomo do Santuário Nacional.

COMÉRCIO.

Diretamente impactados pela queda de turistas, comerciantes e empresários registram grandes expectativas com o retorno das celebrações.

Segundo a categoria, embora as lojas já estivessem abertas havia mais de um mês, poucos foram os que passaram pelas portas neste período.

"Temos um único cliente que toca a economia, que é o visitante. É um alívio porque as pessoas já não estavam suportando mais. Ao mesmo tempo, é um risco que vamos correr de importar e exportar a doença", afirmou Reginaldo Leite, à frente da Associação Comercial de Aparecida.

Para o empresário, os primeiros dias de retorno das missas com público ainda refletem em um movimento tímido.

Por outro lado, o segundo semestre costuma acarretar em vendas superiores em 50% quando comparadas ao primeiro no município, o que ainda consegue deixar os comerciantes mais otimistas..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.