Sorteio do Cajuru 2 será feito no dia 28 de março em São José

As 240 moradias serão destinadas a pessoas com renda familiar de até R$ 1.800; segundo dados da prefeitura, existem hoje 7,2 mil pessoas nessa faixa inscritas em fila de espera

Da redaçã[email protected] | @jornalovale

O governo Felicio Ramuth (PSDB) marcou para o dia 28 de março o sorteio das unidades do conjunto habitacional Residencial Cajuru 2. Nessa data serão sorteadas 224 das 240 moradias. Já o sorteio de outras 16 unidades (oito destinadas para idosos e oito para pessoas com deficiência) será feito em outro dia.

Os imóveis vão beneficiar famílias inscritas no programa habitacional do município com renda máxima mensal até R$ 1,8 mil (faixa 1 do Minha Casa Minha Casa). Dos 10.114 inscritos na fila da habitação, 7.200 estão dentro dessa faixa, segundo dados disponibilizados no site da prefeitura.

A relação dos candidatos selecionados será publicada até quarta-feira da semana que vem. O sorteio será realizado no estádio Martins Pereira. A presença dos candidatos é obrigatória.

Pelos critérios municipais, serão priorizadas as famílias que: residam a até cinco quilômetros do local do novo conjunto habitacional; morem em São José dos Campos há pelo menos 10 anos; tenham filho de até 18 anos.

Desde março de 2019, são considerados ativos no programa habitacional do município apenas os cadastros atualizados periodicamente a cada 12 meses. Quem não cumprir a regra não pode participar de sorteios. A norma anterior, que vigorou entre 2015 e 2019, estabelecia validade de três anos para as inscrições.

CONJUNTO.

Os apartamentos começaram a ser construídos em novembro de 2018 na região leste, na estrada Dom José Antônio do Couto/Estrada do Cajuru, entre outros conjuntos habitacionais (Colinas 1 e 2, Cajuru 1 e 3). As 240 unidades estão distribuídas em 15 torres. Os apartamentos têm dois dormitórios, sala de estar, cozinha, banheiro e área de serviço. O prazo para conclusão das obras era de 18 meses.

O projeto foi viabilizado por meio de uma parceria entre a prefeitura, que cedeu o terreno, e os governos estadual e federal. Para cada uma das unidades, a União investiu R$ 95 mil e o Estado R$ 20 mil.

As famílias que forem contempladas terão até 120 meses para quitar o imóvel, com parcelas que podem variar de R$ 80 a R$ 270 mensais..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.