Mãos à Obra pelo GACC: obras doadas estão disponíveis em galeria

Ainda dá tempo de fazer o natal do GACC pela corrente do bem 'Mãos à Obra'; as obras doadas para a campanha estão à venda na Galeria Victor Hugo e toda arrecadação será para o instituto

É hora de reforçar a corrente do bem ‘Mãos à Obra’ em prol do GACC (Grupo de Assistência à Criança com Câncer), de São José dos Campos, que atende mais de 500 crianças e adolescentes.

O projeto vai até o final de dezembro para que sejam vendidas as mais de 100 obras doadas por 86 artistas para o GACC -- as obras doadas estão avaliadas em R$ 77 mil. Todo o dinheiro arrecadado irá para a instituição, que enfrenta os desafios de atender centenas de crianças.

O Natal do GACC depende da solidariedade de pessoas que podem comprar uma obra de arte e fazer a diferença. Pelo próximo mês, estarão à venda as obras doadas que não foram arrematadas no leilão organizado pela Galeria Victor Hugo, no Colinas Shopping, parceira de OVALE no ‘Mãos à Obra’. O evento ocorreu na quinta-feira.

É hora de participar dessa corrente do bem, que levantou R$ 50 mil para o GACC na edição do ano passado. A meta é ultrapassar o valor. “É hora da sociedade civil fazer o seu papel e também mobilizar-se em nome desta boa causa, para o Natal do GACC”, disse Guilhermo Codazzi, editor-chefe de OVALE.

MOBILIZAÇÃO.

Nesta reta final, o projeto ganhou uma mobilização especial de grandes incentivadores, como o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). “Solidarizo-me à iniciativa do jornal OVALE em favor do GACC, reconhecido pelo tratamento de excelência e humanizado em oncologia pediátrica em todo o Vale desde 1996”.

A artista plástica e primeira-dama de São Paulo, Bia Doria, que doou a escultura “Bailarina da Natureza” para a campanha, lançou um convite para os moradores do Vale do Paraíba: “Vamos colaborar com o GACC comprando uma obra. Todo trabalho voluntário ligado às crianças sempre me sensibiliza muito. Temos que ter sensibilidade e ajudar de alguma maneira”.

O prefeito de São José, Felicio Ramuth (PSDB), disse que a campanha faz da arte um “gesto de amor, respeito e solidariedade ao próximo”. “O projeto fez com que se ampliasse essa grande corrente do bem, em prol do tratamento das crianças atendidas pelo GACC”, afirmou.

“É uma maneira de a sociedade ajudar o GACC a fazer o seu papel. Uma oportunidade de o cidadão transformar o espírito de final de ano num projeto muito bacana, direcionado a algo de muito valor na nossa cidade”, disse Klaus Calegão, presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São José.

Para o presidente da ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José, Humberto Dutra, a iniciativa deve ser “abraçada de coração” pelos moradores da cidade. “O GACC é muito mais do que um hospital. É uma causa. Tem um propósito, que é salvar vidas. A campanha ‘Mãos à Obra’ é um ato de amor ao GACC. Devemos fazer o esforço de comprar uma obra.”

O galerista e empresário Victor Hugo Rosa disse que as obras que não foram vendidas no leilão terão o preço mantido. Será possível comprar quadros a partir de R$ 100 e com descontos de até 90%. “Quem vier na galeria vai comprar a obra de primeira, no valor do leilão. Esperamos um forte engajamento.”

Rosemary Sanz, presidente do GACC, disse que o desafio “é cada vez maior”. “Apoiando o hospital, as pessoas dão ‘Mãos à Obra’ para transformar a vida dessas crianças e jovens que lutam contra o câncer”. E convida: “Vamos à luta por todas essas crianças”.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.