RMVale ter a maior eleio de sua histria, com quase 2 milhes de eleitores, em meio pandemia

Regio ter quase 7.000 candidatos para concorrer em 2020, um aumento de 7,4% em relao ao ltimo pleito; Covid-19 altera hbitos de votao

http://www.ovale.com.br | [email protected]

Eleições pandêmicas.

Na maior eleição de sua história, 1,91 milhão de eleitores da Região Metropolitana do Vale do Paraíba estão aptos a ir às urnas em novembro para eleger prefeitos e vereadores nas eleições municipais mais conturbadas e desafiadoras dos últimos tempos, sem dúvida.

A pandemia do novo coronavírus alterou regras eleitorais, adiou a votação de outubro para novembro --dias 15 e 29, se houver segundo turno-- e trouxe desafios extras aos postulantes aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador.

No Vale, 6.881 pessoas se inscreveram para concorrer nas eleições de 2020, um aumento de 7,4% na comparação com 2016, de acordo com dados oficiais do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

São 202 candidatos a prefeito e 6.499 a vereador, com 415 vagas para serem preenchidas nas Câmaras da região.

A taxa é de 15,66 candidato por vaga, também uma das maiores dos últimos tempos, principalmente em razão de mudanças nas regras das eleições proporcionais.

Até 2016, os partidos coligados podiam lançar um número de candidatos correspondente a 150% das cadeiras disponíveis na Câmara. A partir deste ano, cada partido poderá lançar, individualmente, esse número de candidaturas, o que gerou aumento na quantidade de postulantes ao Legislativo.

Os homens são maioria absoluta nas eleições deste ano, mesmo sendo a menor fatia do eleitorado no Vale. De acordo com as estatísticas do TSE, 66,23% dos candidatos na região são homens e apenas 33,77% são mulheres. Elas são minoria entre os postulantes a cargos políticos mesmo sendo 52,3% do eleitorado na região, com 997,7 mil mulheres. Os eleitores homens são 911,7 mil, 47,7% do total.

RESTRIÇÕES.

Números à parte, as restrições causadas pela pandemia do coronavírus afetarão as eleições municipais de 2020.

As regras permitem, por exemplo, que os candidatos façam comícios, carreatas ou passeatas, mas estes instrumentos de campanha serão mal vistos se provocarem aglomerações em meio aos casos e mortes por Covid-19 no Vale, que ainda estão aumentando, apesar em ritmo mais lento. “Acredito que a Covid-19 terá influência de maneira bem forte e com vários desdobramentos nas eleições deste ano, seja na forma de fazer campanha como na condução do governo de quem for eleito. Teremos em 2021 um ano ainda bem impactado”, disse a consultora política Gil Castillo, ex-presidente da Alacop (Asociación Latinoamericana de Consultores Políticos).

VIRTUAL.

Para o desembargador Waldir Sebastião de Nuevo Campos Junior, presidente do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), as restrições reforçarão as campanhas na internet, que vêm ganhando impulso desde as eleições presidenciais de 2018.

“Sendo possível fazer a campanha preferencialmente de forma virtual, creio que é o momento. Tanto que praticamente todas as instituições públicas e privadas estão se socorrendo desse recurso para poder continuar trabalhando.”

E completou: “Nos últimos tempos, por conta do novo formato de comunicação, principalmente das redes sociais que chegam às pessoas pelo telefone, essa propaganda migrou para as redes sociais, e isso vai minimizar o problema das aglomerações. Se acontecer, tem que ser feito com responsabilidade”.

Candidato que aglomerar onde não puder, em razão da pandemia, pode responder até mesmo criminalmente.

“A responsabilidade pelas aglomerações é de quem promove o ato de campanha. E se essa aglomeração causar prejuízo a alguém, dependendo do tipo de prejuízo, por ter até uma responsabilização civil ou criminal”, explicou o presidente do TRE.

“Agora, se houver uma determinação por parte da Justiça Eleitoral no sentido de que não haja essa aglomeração, por conta da situação excepcional, tem que ser cumprida sob pena de desobediência.”

A pandemia também alterou a dinâmica da votação, que será feita de modo a evitar aglomerações e com protocolos sanitários.

Os eleitores poderão comparecer às urnas de 7h às 17h.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 23 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.