Aps reabertura, RMVale v salto no nmero de mortes e Estado no descarta voltar a fechar comrcio

Com mais flexibilizao e menos isolamento, Covid-19 d salto em junho e bate recordes no Vale; raio-x da doena mostra cidades e sub-regies com mais casos e mortes no Vale

Xandu Alves | @xandualves10

 O aumento da flexibilização no Vale do Paraíba repercutiu no número de casos confirmados de Covid-19, que bateu todos os recordes em junho, e na quantidade de pessoas que não resistiram à doença.

O crescimento da quantidade de mortes levou o governo estadual a brecar a ampliação da reabertura econômica na região. Também pesou para a decisão o maior número de pacientes internados.

Em São José dos Campos, por exemplo, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivos para Covid-19 passou da casa de 78% nesta semana, o maior número desde o início da quarentena.

A resposta do município veio em forma de decreto que permite a abertura apenas de atividades essenciais aos finais de semana e feriados, além de acelerar a construção do Hospital de Retaguarda, que permitirá a ampliação dos leitos Covid-19 na cidade.

São José lidera o ranking da doença na região, com todos os indicadores acima das cidades. São 2.750 casos até sexta-feira (26) e 87 mortes, 44% e 39% do total da região.

A doença acelera na cidade.

O número de casos confirmados em São José cresceu 34% nesta semana na comparação com a semana anterior. No mesmo período, o percentual de mortes subiu 21%.

Na comparação de junho com maio, a cidade registra 217,5% a mais de casos e aumento de 135% nos óbitos por Covid-19, números expressivos e que mostram a necessidade de medidas de contenção da doença.

Não à toa, o governo estadual admitiu nesta sexta que pode recomendar um endurecimento da quarentena em São José, como foi feito com Campinas e Sorocaba.

“Semanas atrás tivemos o próprio prefeito de São José dos Campos entrando com medidas judiciais, que não foram atendidas, para liberar o comércio de São José dos Campos. Hoje, o mesmo prefeito compreende, acertadamente, que é hora de restringir o comércio e preservar vidas. Tudo aquilo que orientamos no Plano São Paulo”, disse o governador João Doria (PSDB), em resposta à pergunta feita por OVALE durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, completou afirmando que ainda não existe recomendação para o fechamento em São José, mas que a medida não está descartada.

“Vamos observar diariamente e, se for necessário, a faremos. Muito positivo que o prefeito tenha agido e tomado as restrições diante do aumento observado na cidade”, disse o secretário a OVALE.

RAIO-X.

A doença cresce em todo o Vale do Paraíba, mas de forma desigual. É nítido o avanço da Covid-19 com maior velocidade nas principais e maiores cidades, que funcionam como polos de desenvolvimento regional, caso de São José, Taubaté e Jacareí.

Segundo pesquisadores, a Via Dutra funciona como um dos principais vetores de expansão do vírus, o que faz com que as cidades às margens da rodovia registrem aumento dos casos, como em Pindamonhangaba, Guaratinguetá e Lorena, além das três maiores do Vale.

Considerando as cinco sub-regiões da RMVale, o grupo de oito cidades liderado por São José é responsável por 3.655 casos positivos, 58% do total do Vale. Jacareí, Caçapava e Igaratá fazem parte deste núcleo, que registra 127 mortes, 56% da totalidade do Vale.

As quatro cidades do Litoral Norte formam a sub-região 5 e respondem por 18,5% dos casos, com 1.164 confirmados, além de 46 mortes (20%).

Liderada por Taubaté, a sub-região 2 tem 910 diagnósticos positivos para a doença (14%) e 32 óbitos (14%). O grupo é formado por mais nove municípios.

Na sequência, a sub-região 3, de Guaratinguetá e oito municípios, registra 450 infectados (7%) e 14 mortes (6%).

O Vale Histórico é representado pelos oito municípios da sub-região 4, que acumula 106 (1,6%) casos confirmados de Covid-19 e 6 mortes (2,6%).

Em junho, todas as cinco sub-regiões registraram aumento do número de casos e de morte em decorrência do coronavírus. A campeã foi a sub-região 2, de Taubaté, com 255% de alta nos casos e 166% nas mortes.

A sub-região 1 (São José) aumentou os casos confirmados em 199% e as mortes em 131%.

A sub-região 3 (Guaratinguetá) teve 171% a mais de infectados e 100% de alta nos óbitos, mesmo percentual da sub-região 4 (Cruzeiro), que ainda teve 141% a mais de casos de Covid-19. Por fim, a sub-região 5 (Litoral Norte) aumentou o número de doentes em 85%, o menor percentual do Vale, e as mortes em 254%, recorde da região.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 23 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.