Vírus contamina milhares em rapidez inédita, mas enfrentamento começa com ações individuais

Um simples ato de lavar as mãos pode salvar a sua vida. É o que dizem os médicos sobre como prevenir do contágio do novo coronavírus.

A primeira dica é de higiene: lavar bem as mãos, com água e sabão, e higienizar com álcool gel. E não levar as mãos sem limpeza à boca, nariz e olhos. Medidas simples e ao alcance de milhões de brasileiros.

Embora ataque grandes parcelas da população mundial, com uma rapidez inédita, o coronavírus faz com que atitudes individuais sejam necessárias para vencer a pandemia.

Cada um tem a responsabilidade diante de si: seguir as recomendações sanitárias, de isolamento e higiene, para brecar a propagação do vírus.

“Do ponto de vista epidemiológico, o isolamento restringe a capacidade de disseminação [do vírus] e as pessoas vão demorar mais para ficar doentes, o que diminui o número de infectados ao mesmo tempo”, explica o médico patologista clínico Alex Galoro, gestor do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica.

Para ele, se tirar toda a quarentena, é o caos total.  “São imprescindíveis medidas de controle, quarentena e isolamento, o que tem tido sucesso no mundo”.

O especialista avalia que a desigualdade social no Brasil dificulta o enfrentamento da pandemia, especialmente se o vírus se espalhar por comunidades extremamente pobres, sem saneamento básico e acesso a água tratada.

“Devemos rever hábitos culturais que predispõem e deixam expostos a esse tipo de situação, além da saúde pública no combate às grandes epidemias, para uma atuação rápida e de maior envergadura”, afirma o médico.

O engajamento contra o coronavírus começa com os indivíduos, que podem fazer a diferença, e vai passando aos núcleos familiares e estruturas maiores, como redes sociais e profissionais.

Antônio Medeiro é um líder de produção em uma empresa da região que, pela idade (61 anos), foi orientado a permanecer em casa. “Tenho trabalhado em casa e tomado todas as precauções. Não saio e ainda conscientizo meus familiares pelas redes sociais”.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.