A mscara de Bolsonaro

Em coletiva emblemtica, presidente deixa claro que no tem preparo para conduzir o Brasil nessa crise to grave

Patética, a entrevista coletiva convocada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido, sem capacidade para o exercício da função e sem conexão com as responsabilidades do cargo) nesta quarta-feira, concedida ao lado de um grupo de ministros e transmitida para todo o Brasil, foi emblemática. Foi uma 'fratura exposta', demonstrou o despreparo de um governo desgovernado, alienado, alheio à gravidade de uma crise mundial ainda sem precedentes, que chegou a ser classificada pelo chefe do Executivo como fantasia da mídia. Que show de horrores. O triste espetáculo, que mostrava o presidente e os ministros usando máscaras, sentados lado a lado, é um resumo da falta de políticas do Palácio do Planalto diante da pandemia do coronavírus. Bolsonaro, em uma imagem que rapidamente virou meme, não sabia nem sequer colocar a máscara. Infelizmente, esse foi o menor dos problemas.

O que se viu, mais uma vez, foi a falta de coordenação ministerial e a ausência de um plano de ação que possa conduzir o país durante essa grave crise.

Já acostumado a desdenhar da pandemia, com uma vergonhosa irresponsabilidade sanitária e insanidade cívica, mesmo com dois ministros já tendo sido contaminados, Bolsonaro declarou que 'não há motivo para pânico'.

Deixou claro: não se surpreendam se ele for visto andando em um coletivo ou metrô, no meio do povo -- contrariando recomendações básicas de evitar aglomerações. Bolsonaro, evidentemente, não entendeu nada.

Na pífia coletiva, ele fez ataques à imprensa, fez política (aquela, a velha política) e... mentiu. Fake.

Novamente, o presidente lançou informações falsas para defender o indefensável. Ainda comparou o país ao futebol. "Sou o técnico", disse Bolsonaro, que, preso à sua distopia, completou: "estamos ganhando de goleada". Como?

O senhor é um 7 a 1, presidente.

Todo dia é um gol da Alemanha.

O Brasil espera que, à revelia do seu presidente, a ala técnica cumpra o seu papel. Bolsonaro? Que tal uma quarentena verbal?

O presidente é inepto.

A máscara caiu. Mais uma vez..

 

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.