Pesquisar a lio

Levantamento feito pelo Nupes aponta diferena de at 488% no preo de um mesmo item do material na regio

Perto da volta às aulas, a compra de materiais escolares, de maneira geral, se tornou um desafio para pais doss pequenos alunos. Afinal, uma desatenção e você pode gastar muito a mais sem perceber. Acredite: há item de material escolar com diferença de até 488% entre os preços máximo e mínimo na região.

Levantamento feito pelo Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais) da Unitau (Universidade de Taubaté) mostra que o consumidor pode economizar boas quantias fazendo o básico: pesquisando os preços.

O consumidor em geral pode até não saber, mas a alta no preço de vários produtos há ligação direta até com questões internacionais de mercado. O aumento no petróleo, por exemplo, encarece produtos de plástico, como régua e apontador. Este, por exemplo, você encontra de R$ 1,29 a R$ 7,59 nas lojas da região, dependendo da marca e das características.

Segundo a avaliação do Nupes a diferença entre os preços máximo e mínimo dos 12 itens pesquisados é de 109%. Só conferindo e procurando o menor preço, é possível economizar cerca de R$ 170. E ajuda, porque os itens mais básicos estão mais caros esse ano: você vai gastar mais em régua, caderno, apontador, cola, lápis, borracha, tesoura, mochila...

Fica claro que, em geral, o importante é fazer a lição de casa e pesquisar bem antes de comprar. Seu bolso agradece..

 

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.