So direitos humanos

Celebrado nesta tera, o Dia dos Direitos Humanos traz a reflexo a respeito da importncia dessas garantias bsicas

Direitos humanos. Em uma época assolada pelo discurso de ódio, pelo tom bélico das redes sociais e pela desinformação generalizada, capaz de contestar do formato do planeta à teoria da evolução, os direitos humanos são uma das principais vítimas deste assustador quadro de ignorância endêmica. Aqui, a palavra ignorância está empregada no sentido de desconhecimento. Em uma sociedade em que há afirmações vazias como 'direitos humanos para humanos direitos', criadas para a 'lacração' pueril da internet, há muita ignorância sobre o tema. Afinal de contas, o que são direitos humanos?

Após a trágica e sanguinária Segunda Guerra Mundial, palco do Holocausto e de inúmeras outras atrocidades, os países decidiram, em 1948, criar a Declaração Universal dos Direitos Humanos. E o objetivo disso era defender bandidos? Não. Era evitar que aquela carnificina pudesse repetir-se.

Mas, afinal, o que os direitos humanos pregam?

Artigo 1. Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. (...)

Artigo 2. Toda pessoa tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidas nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição. (...)

Artigo 3. Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo 4. Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante. (...)

Artigo 7. Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, à igual proteção da lei. (...)

Artigo 9. Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado. (...)

Artigo 10. Toda pessoa tem direito, em plena igualdade, a uma audiência justa e pública por parte de um tribunal independente e imparcial (...)

Artigo 11. Toda pessoa acusada de um ato delituoso tem o direito de ser presumida inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada (...)

Artigo 16. Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, têm o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução. (...)

Artigo 17. Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade. (...)

Artigo 18. Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião (...)

Artigo 19. Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão (...)

Artigo 20. Toda pessoa tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas. (...)

Artigo 23. Toda pessoa tem direito ao trabalho (...)

Artigo 24. Toda pessoa tem direito a repouso e lazer (...)

Artigo 26. Toda pessoa tem direito à instrução (...)

Como se vê, ser contrário aos direitos humanos é coisa de humanos que não leram direito..

 

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.