Logo Jornal OVALE

A censura boca a boca

Polmica na Bienal do Rio e a censura do Itamaraty sobre a poltica de gnero mostram a liberdade ardendo no fogo

Bücherverbrennung. O termo alemão tem significado sombrio: queima de livros. Ele refere-se a um episódio impresso nas páginas mais tristes da História, as 'grandes queimas de livros', a campanha empregada pelo movimento nazista entre 10 de maio a 21 de junho de 1933 em diversas cidades da Alemanha, país que desde janeiro daquele mesmo ano estava sob o comando de Adolf Hitler. A medida, executada em praça pública, integrava os planos do Ministério da Propaganda, sob a chefia de Joseph Goebbels. Eram consumidas pelas chamas as obras consideradas 'impuras' ou 'nocivas' de autores estrangeiros, judeus e pessoas contrárias às medidas de extrema direita a irromper no horizonte e que desembocariam no inferno do Holocausto, durante a sanguinária Segunda Guerra Mundial.

Na última sexta-feira, fiscais da prefeitura do Rio de Janeiro estiveram na Bienal do Livro para empreender uma ofensiva contra a HQ 'Vingadores -- A Cruzada das Crianças', da Marvel, um dia depois do prefeito Marcelo Crivella (PSC) prometer censurar a obra. Por quê?

O motivo seria uma imagem de dois personagens homens se beijando -- o que, de acordo com ele, seria uma transgressão ao artigo 76 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), pois conteúdo homossexual atingiria um público formado por crianças.

Após uma guerra travada desde a última sexta-feira em tribunais do Rio, o STF (Supremo Tribunal Federal), com decisões do presidente Dias Toffoli e do ministro Gilmar Mendes, suspendeu a ordem do TJ (Tribunal de Justiça) que permitia a apreensão do livro questionado por Crivella. A decisão atende pedido da Procuradoria-Geral da República.

Falando em censura, o Itamaraty vetou o acesso a documentos sobre a política de gênero do governo Jair Bolsonaro (PSL) até 2024, temendo que a informação atrapalhe a reputação do país internacionalmente, prejudicando-o nas mesas de negociação.

E Bolsonaro tem mesmo muito a esconder, já que o Planalto tem adotado posições retrógradas. O governo passou a rejeitar o termo 'igualdade de gênero' ou 'educação sexual', na ONU, em documentos e resoluções oficiais. Isso na esteira da decisão de passar a votar juntamente com a Arábia Saudita em assuntos relacionados à família e à mulher.

Em um país onde a liberdade é colocada na fogueira, a censura é o beijo que sela o amor incestuoso entre a ignorância institucionalizada e o autoritarismo.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.