Vale tem 14 cidades no 'Top 1.000' do emprego no Brasil, diz Caged

Catorze municpios figuram entre as 1.000 cidades do pas com os melhores saldos de novos postos de trabalho nos 10 meses de 2019; regio tinha cinco cidades nessa condio em janeiro deste ano e 13, entre janeiro e agosto

Xandu [email protected] | @xandualves10

O saldo positivo de 6.110 postos de trabalho gerados na RMVale de janeiro a outubro deste ano, o melhor resultado para o mesmo período desde 2013, beneficiou as cidades da região no ranking nacional do emprego. Houve aumento de 180% na comparação com a lista de janeiro deste ano.

Catorze municípios figuram entre as 1.000 cidades do país com os melhores saldos de novos postos de trabalho nos 10 primeiros meses de 2019.

A região tinha cinco cidades nessa mesma condição em janeiro deste ano e 13, no período de janeiro a agosto. O número de municípios entre as melhores empregadoras do país é o maior para a região desde 2013, quando 16 cidades entraram no 'Top 1.000'.

O ranking é feito por OVALE com dados do (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia. A lista traz 5.630 municípios e excetua as capitais.

Com 1.541 novos postos de trabalho gerados entre janeiro e outubro, São José dos Campos lidera na região, ocupando a 90ª colocação do ranking nacional, a segunda melhor da cidade neste ano --entre janeiro e setembro, foi a 79ª.

Os três primeiros lugares da lista são ocupados por Joinvile (SC), com 8.123 empregos, Barueri (SP), com 6.765, e Dourados (MS), com 6.577.

Pindamonhangaba é a segunda cidade da região mais bem classificada no ranking, na 134ª posição com 1.174 postos de trabalho abertos de janeiro a outubro, também a segunda melhor colocação do município em 2019 --foi a 132ª entre janeiro e agosto.

Na sequência, aparecem a cidade de Taubaté (180º lugar com 964 empregos), Guaratinguetá (303º/601) e Caçapava (338º/555).

As outras cidades do Vale entre as melhores do país são Redenção da Serra (431º), Campos do Jordão (469º), Jacareí (691º), Lorena (710º), Santa Branca (717º), Aparecida (811º), Piquete (948º) e Cruzeiro (981º).

'Desempenho baixo da indústria reduz novos empregos no Vale', diz economista

Na avaliação do economista Edson Trajano, que é pesquisador do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais), da Unitau (Universidade de Taubaté), o Vale do Paraíba não alcançou um resultado melhor no ranking por causa do desempenho da indústria. As 14 cidades que entraram no 'Top 1.000' do emprego nacional acumulam saldo de 7.003 empregos gerados entre janeiro e outubro, mas apenas 486 deles no setor industrial, 7% do total. Quem maios empregou foi serviços, com 3.884 vagas (55%), e depois a construção civil, com 2.388 (34%). O comércio perdeu 345 empregos. "Mesmo com pequeno crescimento, a indústria enfrenta desafios. São poucos empregos e muitos com salários menores, o que impacta outros setores".

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.