Argentina e China reduzem importaes do Vale em US$ 1,47 bilhes

Volume de importao dos dois pases caiu de US$ 3,79 bilhes em 2018, 40% do total exportado pelo Vale, para US$ 2,31 bilhes em 2019, 28% da totalidade; recuo foi de 39%; petrleo e veculos foram produtos mais afetados

Xandu [email protected] | @xandualves10

Dois dos principais importadores do Vale do Paraíba, China e Argentina deixaram de comprar US$ 1,47 bilhão da região neste ano, de janeiro a outubro, na comparação com igual intervalo de 2018, segundo dados do Ministério da Economia.

O volume de importação dos dois países caiu de US$ 3,79 bilhões em 2018, 40% do total exportado pelo Vale no período, para US$ 2,31 bilhões em 2019, 28% da totalidade. O recuo foi de 39%.

A China foi quem mais diminui a compra dos produtos do Vale. Maior importadora da região até o final do ano passado, o país asiático acumula US$ 1,18 bilhão a menos em compras da região, 40% de queda --US$ 1,74 bilhão contra US$ 2,92 bilhões.

Os chineses alcançaram o oitavo período seguido importando menos do Vale, o que refletiu no resultado geral da balança comercial.

A região anotou superávit de US$ 3,27 bilhões nos 10 meses deste ano, queda de 21% frente ao superávit do mesmo período no ano passado, de US$ 4,13 bilhões.

A China, que representava 31% das exportações do Vale de janeiro a outubro de 2018, reduziu para 21%.

Maior compradora de carros do Vale, a Argentina amarga o 11º período seguido com queda nas importações.

O recuo é de 33% nestes 10 meses, com US$ 577,8 milhões contra US$ 868,7 milhões.

O país vizinho representava 9% das exportações do Vale e agora caiu para 7%, deixando de importar US$ 290,9 milhões de janeiro a outubro.

Na contramão, os Estados Unidos anotaram o 10º período com alta na importação de produtos do Vale, mas com uma margem menor -- US$ 2,79 bilhões contra US$ 2,39 bilhões, alta de 17%, contra 32% no período anterior.

São Sebastião, Ilhabela e Taubaté perdem exportações

Exportadores de petróleo e veículos foram os mais penalizados com a queda de China e Argentina, que ficou mais evidente em outubro, mês no qual as exportações do Vale recuaram 51% ante 2018. São Sebastião reduziu 86% e Ilhabela, 76%. As cidades são as principais exportadoras de petróleo. Taubaté teve queda de 49% nas exportações gerais em outubro, com -36% de diminuição na venda apenas para a Argentina. O país é o maior comprado de carros feitos no Vale e o principal importador de Taubaté, que viu a venda de veículos cair US$ 123 milhões em 10 meses.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.