Logo Jornal OVALE

Importao de matria-prima cai em 7 dos 10 principais segmentos no Vale

Com exceo de combustveis e qumicos, as principais matrias-primas da produo industrial da RMVale tm reduo nas principais importaes, como veculos e peas (-50%), ferro e ao (-47%) e alumnio e obras (-38%)

Xandu [email protected] | @xandualves10

A importação de matéria-prima para a produção industrial do Vale do Paraíba caiu entre janeiro e agosto deste ano comparado a igual período do ano passado, segundo o Ministério da Economia.

Considerando os 10 produtos mais importados pela região, responsáveis por 87% das compras no exterior, o recuo foi de 1,37%, passando de US$ 3,59 bilhões para US$ 3,54 bilhões.

O percentual foi idêntico ao do total das importações, que caíram de US$ 4,10 bilhões para US$ 4,05 bilhões no mesmo período.

Dos 10 produtos mais importados pelo Vale de janeiro a agosto, sete registraram queda na compra no exterior na comparação com o mesmo período do ano passado, indicando retração na atividade industrial, o que pode aumentar ainda mais o desemprego no Vale.

VEÍCULOS.

O setor das montadoras de veículos foi quem mais sentiu o golpe da crise. O segmento reduziu as importações em 50% no Vale. As empresas importaram US$ 169,2 milhões de janeiro a agosto contra US$ 336,9 milhões no mesmo intervalo do ano passado.

Trata-se da maior queda percentual entre os 10 produtos mais importados pelo Vale neste ano.

Produtos de ferro e aço reduziram 48% as importações: US$ 133,7 milhões contra US$ 254,9 milhões. Alumínio caiu 38%: US$ 143,3 milhões contra US$ 232,5 milhões.

Na contramão, a importação de combustíveis minerais saltou de US$ 816,4 milhões para US$ 1,02 bilhão neste ano, alta de 25,5%. No mesmo período, a compra de produtos químicos orgânicos aumentou 30%, com US$ 758,2 milhões contra US$ 581,1 milhões.

São José, Taubaté, Jacareí e Pinda importam menos insumos em 2019

As cidades mais industrializadas do Vale importaram menos matéria-prima nos primeiros oito meses deste ano frente a igual período de 2018: São José dos Campos (-24,81%), Pindamonhangaba (-34,94%), Taubaté (-6,25%), Jacareí (-4,63%), Caçapava (-15%), Cruzeiro (-5,62%) e Lorena (-3,58%).

Apenas São Sebastião e Guaratinguetá aumentaram a compra de insumos no exterior, respectivamente com 27% e 30,5%. Os percentuais são explicados pela alta na importação de petróleo e produtos químicos, principais itens de produção nas duas cidades.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.