Logo Jornal OVALE

Exportao de veculos tem queda no Vale em meio crise argentina

Automveis so o terceiro produto mais vendido ao exterior pelas empresas da RMVale, atrs de petrleo bruto e aeronaves; Argentina a principal compradora de veculos, importando 46,19% da produo do Vale do Paraba

Xandu [email protected] | @xandualves10

A crise na Argentina derrubou a exportação de veículos do Vale do Paraíba para o país vizinho neste ano, com -53,78% de janeiro a julho frente ao mesmo período de 2018. Trata-se do maior recuo do ano, segundo o Ministério da Economia.

Os automóveis são o terceiro produto mais vendido ao exterior pelas empresas da região, atrás de petróleo bruto e aeronaves. E a Argentina é a principal compradora de veículos, importando 46,19% da produção do Vale.

Entre os meses de janeiro a julho deste ano, a região exportou US$ 235,2 milhões em automóveis para a Argentina, contra US$ 396,9 milhões em igual período do ano passado, queda de 53,78%.

No geral, a exportação de veículos caiu 31,49% na região durante os sete primeiros meses do ano (US$ 509,2 milhões) na comparação com o mesmo período do ano passado (US$ 743,3 milhões).

Responsável por 52,73% da exportação de veículos no Vale neste ano, a cidade de Taubaté anotou retração de 47,13% nas vendas para a Argentina nos sete primeiros meses deste ano.

Na comparação com igual período do ano passado, o volume exportado caiu de US$ 276 milhões para US$ 145,9 milhões.

São José dos Campos registrou uma queda ainda maior, com 80,63% a menos de veículos exportados para a Argentina neste ano, com US$ 43,8 milhões contra US$ 226,2 milhões no ano passado.

Mesmo com poucas unidades vendidas para a Argentina, Jacareí também sentiu a crise no país latino. As exportações de automóveis caíram 34,83%, de US$ 306 mil para US$ 199,4 mil.

PARALISAÇÕES.

A retração já causou paralisações na produção de veículos nas duas cidades da região que mais exportam automóveis e peças para a Argentina: Taubaté e São José.

Em janeiro, trabalhadores da Ford entraram em greve em Taubaté após a demissão de 12 funcionários. Na ocasião, a montadora informou que o desligamento aconteceu para "adequar os volumes de produção em função da queda nas exportações para a Argentina".

Entre 13 de maio e 3 de junho, trabalhadores do 2º turno de produção entraram em férias coletivas na fábrica da Volkswagen, em Taubaté.

O motivo também foi a queda nas exportações, principalmente para a Argentina.

O mesmo ocorreu na GM em São José, que concedeu dois dias de folga em maio na produção da picape S10.

AVIÕES E TRENS.

A exportação de aeronaves, o segundo tipo de produto mais vendido pela região, cresceu de US$ 1,52 bilhão para US$ 1,71 bilhão. Já a exportação de trens registrou alta recorde de 675%: US$ 7,29 milhões para US$ 56,5 milhões.

Principal produto da pauta exportadora do Vale, petróleo tem alta de 14% no ano

Principal produto da pauta exportadora do Vale do Paraíba, o petróleo bruto aumentou 14% a venda ao exterior neste ano na comparação com 2018. Nos sete primeiros meses, as cidades da região exportaram US$ 2,53 bilhões contra US$ 2,22 bilhões em 2018. A participação do petróleo no total das exportações foi de 36,87% para 40,66%.