Logo Jornal OVALE

Vale tem supervit de US$ 2,5 bilhes na balana comercial em 2019

Resultado principalmente fruto de nmeros expressivos nas exportaes dos dois ltimos meses, com US$ 1,3 bilho em abril e US$ 1,091 bilho em maio; US$ 1,091 bilho exportado em maio 49% maior do que maio de 2018

Xandu [email protected] | @xandualves10

Com crescimento de 49% nas exportações em maio --US$ 1,091 bilhão ante US$ 732,9 milhões, no mesmo mês de 2018--, a RMVale alcançou superávit de US$ 2,5 bilhões na balança comercial dos cinco primeiros meses do ano.

Trata-se do maior superávit da região para o período de janeiro a maio dos últimos quatro anos.

O resultado é fruto de resultados expressivos nas exportações dos dois últimos meses, com US$ 1,3 bilhão em abril e US$ 1,091 bilhão em maio.

Até então, o mês com o maior volume exportado no ano havia sido janeiro, com US$ 851 milhões.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério da Economia e indicam crescimento de 105,36% no superávit de maio de 2019 (US$ 476,4 milhões) ante igual período do ano passado (US$ 232 milhões).

A RMVale importou US$ 2,4 bilhões de janeiro a maio, 1,10% de alta comparado ao resultado do mesmo período de 2018, com US$ 2,3 bilhões.

Dezenove cidades da região exportaram em maio, uma a mais do que em abril deste ano e três acima do número de maio do ano passado.

Quantos às importações, 22 municípios compraram no exterior em maio deste ano, acima dos 19 que importaram em abril e duas a mais do que em maio de 2018.

O resultado fez com que, das 27 cidades do Vale que venderam ou compraram no exterior nos primeiros cinco meses, 12 anotaram superávit na balança comercial, enquanto 15 fecharam o mês com déficit.

CIDADES.

São José dos Campos manteve o primeiro lugar entre as cidades do Vale que mais exportaram nos primeiros cinco meses do ano, alcançando US$ 1,5 bilhão.

O município superou Ilhabela, que vinha no primeiro lugar do ranking até o primeiro trimestre. Nestes cinco meses, a cidade do Litoral Norte, principal exportadora de petróleo da região, acumula US$ 1,4 bilhão em vendas ao exterior.

Também foi o petróleo bruto que levou São Sebastião ao terceiro lugar entre os maiores exportadores da região de janeiro a maio, consolidando posição conquistada no primeiro quadrimestre. A cidade vendeu US$ 629,6 milhões.

O valor ficou acima de Taubaté, que registrou US$ 497,8 milhões, e de Jacareí, que exportou US$ 370,9 milhões de janeiro a maio de 2019.

SALDO.

Das 10 cidades mais exportadoras da RMVale, apenas Guaratinguetá (US$ -310,9 milhões) e Caçapava (US$ -3,4 milhões) fecharam os primeiros cinco meses do ano com déficit na balança comercial.

Os demais registraram superávit no balanço comercial, com destaque para Ilhabela (US$ 1,4 bilhão) e São José dos Campos (US$ 1,052 bilhão), únicas a ultrapassar a barreira de US$ 1 bilhão.

Depois das duas cidades aparecem Pindamonhangaba (US$ 99,9 milhões), Jacareí (US$ 97,3 milhões), São Sebastião (US$ 64 milhões), Taubaté (US$ 58,3 milhões) e Lorena (US$ 15 milhões).

Com o resultado da balança comercial dos primeiros cinco meses, a RMVale acumula US$ 164,7 bilhões exportados desde 1997, segundo série histórica do Ministério da Economia.

Desse total, US$ 99,9 bilhões foram vendidos por São José dos Campos, cidade que é responsável por 60% de todas as exportações da região desde 1997. Taubaté vem na sequência, com US$ 16,5 bilhões, 10% do Vale..