Brasil

Popularidade de Bolsonaro se dissolve e ele sobe o tom, temendo perder as eleições

Publicado em 10/07/2021 às 02:00Atualizado há 22/07/2021 às 12:22
Bolsonaro (Divulgação)

Bolsonaro (Divulgação)

Em queda livre, atingindo seu pior índice de aprovação e com risco de ver seu projeto de poder aniquilado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) elevou o tom das ameaças e passou a colocar em xeque a realização das eleições no ano que vem. O presidente subiu o tom e nesta última sexta-feira chamou o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso de “idiota” e “imbecil” ao falar sobre os argumentos contrários do magistrado contra a aprovação do voto impresso.

Antes, na última quinta, Bolsonaro fez novas ameaças em relação ao pleito. “Eleições no ano que vem serão limpas. Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleições”.

A declaração dele gerou reação imediata em diversos setores.

EM QUEDA.

A desaprovação ao trabalho pessoal do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), bateu novo recorde e chegou aos 63%. Os dados foram divulgados em pesquisa durante esta semana, realizada pela CNT (Confederação Nacional de Transportes).

O fato é que a popularidade do presidente despencou nos últimos meses, principalmente por conta da condução da pandemia da Covid-19, com discursos negacionistas.

Atualmente, o Senado está em andamento com uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que envolve as ações e omissões do governo federal durante o período.

Além disso, ainda o nome do presidente ainda está envolvido nas denúncias de corrupção com outros membros da família, no caso das rachadinhas nos salários dos assessores de Flávio Bolsonaro..

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALE
Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Distribuído por:
Desenvolvido por: