Logo Jornal OVALE

Entenda o papel da inteligência emocional no dia a dia da mulher

Para Giovana Mota, master coach em inteligência emocional, controlar e canalizar as emoções é o caminho para concentrar ações realmente naquilo que importa e obter sucesso nos resultados esperados

A mulher que busca desenvolver e melhorar sua capacidade de empatia e de se comunicar, se expressando de forma mais assertiva, precisa aprender a desenvolver sua inteligência emocional. Ter esse conhecimento emocional é fundamental para levar uma vida mais leve, saudável, com harmonia e autocontrole. Para Giovana Mota, master coach em inteligência emocional, controlar e canalizar as emoções é o caminho para concentrar ações realmente naquilo que importa, nos resultados esperados e obter sucesso. "Mesmo conhecendo a si próprio e tendo ciência de como funciona a inteligência emocional, nem sempre é possível controlar o que sentimos. Um bom coach pode ajudar nesse processo, além de muita leitura e prática, que nunca são demais", afirma. Em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres, ela preparou cinco pontos importantes a serem observados pelas mulheres quando o assunto é inteligência emocional.

 O primeiro são os perigos do contágio social errado. "Somos diretamente influenciados por quem está ao nosso redor, por meio de um fenômeno chamado contágio social: processo em que os sentimentos, comportamentos, hábitos e costumes de uma pessoa se transferem para outra. Pense em seus pilares, em seu futuro, e conclua para onde as pessoas com quem você mais se relaciona estão te levando".

 Outro tema abordado é 'vaidade e sucesso'. "Hoje em dia, buscar o sucesso com interferência negativa da vaidade é umas das causas de grande sofrimento nas mulheres, principalmente nas desvitalizadas por relacionamentos disfuncionais e crenças e experiências negativas de passado", disse.

"A necessidade de aprovação e reconhecimento a qualquer custo para algumas, pode gerar frustrações e até mesmo doenças físicas e emocionais e saber identificar está interferência pode ajudá-la a ser mais feliz e ainda evita danos mais graves".

A autorresponsabilidade na definição dos papéis da mulher também é citada. "Somos multitarefas e escolhemos ser. A soma de papéis na vida da mulher precisa ser encarada com responsabilidade. Respeitar o nosso limite é muito importante, mas terceirizar nossa responsabilidade, principalmente as ligadas aos nossos valores de vida, torna a vida a mulher mais desgastante e cansativa"..

'Crenças limitantes' são um desafio para as mulheres, segundo especialista

DESAFIOS. Como ser mulher e não sofrer de crenças limitantes? Como viver num mundo capitalista, machista e consumista e não criar limitações para a vida da mulher? De acordo com a especialista Giovana Mota, master coach em inteligência emocional, "quando conseguimos identificar nossas disfunções emocionais e cuidamos deste sentimento, conseguimos definir melhor nossas emoções e começamos a agir com mais certeza e automotivação". Para ela, o valor pessoal da mulher também deve sempre ser um diferencial. "Valor pessoal é a essência, a verdade e o poder que toda mulher tem e que dependendo do seu cenário de vida atual, ela esquece. Quando agimos segundo nosso valor pessoal, conseguimos mostrar nosso diferencial único, conseguimos agir de forma mais amorosa e assertiva e ajudamos muito mais as pessoas", disse..