Logo Jornal OVALE

Ex-aluno de escola pública de São José é aprovado em quatro faculdades de medicina

Para conquistar uma vaga, Gustavo José de Melo Correia, de 21 anos, passou dois anos estudando em cursinho onde conseguiu uma bolsa parcial em São José dos Campos. Ele é o primeiro colocado em Medicina na Fuvest, entre os estudantes de escolas públicas

Julia Carvalho | @carvalho8123

Enquanto muitos candidatos a uma vaga em faculdades públicas de Medicina ficam muitos anos estudando para conseguir, com apenas dois anos de cursinho Poliedro, o estudante Gustavo José de Melo Correia, de 21 anos, ex-aluno de escola pública, conquistou quatro aprovações no vestibular de Medicina 2019: USP Pinheiros, Faculdade de Medicina de Marília (Famema), Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) e Unesp. Ele é o primeiro colocado em Medicina na Fuvest, entre os estudantes de escolas públicas.

Com persistência e dedicação aos estudos, o morador do bairro Monte Castelo mostrou que é possível alcançar o sonho de ser médico. “Meu primeiro ano de cursinho, em 2017, foi bem difícil. Era um período de adaptação, já que eu não estava acostumado com o ritmo de estudos. Tive dificuldades em Exatas e Redação e fui superando ao longo do tempo”, diz ele.

Em 2018 foi diferente. Gustavo estava adaptado ao curso e à carga de conteúdos. “Tinha mais maturidade e, mesmo passando por muitos momentos de falta de confiança, consegui manter a consistência nos estudos”, afirma.

O futuro médico ainda aguarda os resultados de outros vestibulares, no entanto, já fez a escolha: vai estudar na USP Pinheiros, a menina dos olhos da maior parcela dos vestibulandos de Medicina. “A Pinheiros sempre foi um sonho e, muitas vezes, a enxerguei como inalcançável. É uma faculdade bem localizada e considerada uma das melhores de Medicina do Brasil. Não tive dúvidas nesta escolha”, aponta o estudante.

Em busca do sonho da Medicina

Gustavo estudou durante toda a Educação Básica em escola pública e desde o final do Ensino Médio, em 2015, já cogitava fazer Medicina, mas sentia que não tinha maturidade o suficiente para se dedicar à rotina de estudos. Na época optou por ingressar em uma faculdade privada de Educação Física, onde conseguiu 100% de bolsa, mas acabou desistindo. Não era uma carreira que, de fato, gostaria de seguir. “Lá fiz grandes amigos, mas não me sentia satisfeito e desafiado. Conseguia tirar nota sem me esforçar”, afirma.

Para se preparar para o vestibular de Medicina, optou por uma preparação focada. O irmão mais velho o ajudou a bancar os custos do cursinho, como livros, materiais e a mensalidade. Por meio do Concurso de Bolsas do Curso Poliedro de São José dos Campos, que concede descontos de 0 a 100%, de acordo com o desempenho do candidato, ele conquistou uma bolsa estudos parcial.

“O Poliedro, sem dúvidas, foi importante para a minha aprovação. Seja por causa dos professores excelentes ou pela estrutura acolhedora. Mesmo sendo uma época tensa na vida do estudante, os alunos sempre mantiveram um clima amistoso em sala de aula e de ajuda mútua”, declara.

Aos vestibulandos de Medicina, a principal dica dele é que não desistam de seus objetivos. “Há momentos de desânimo, isso é normal, mas esses problemas não devem ser maiores do que a vontade de ser aprovado. A sensação de realização e de felicidade no momento da aprovação é inenarrável”, conclui.