São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Projetos Especiais
Outubro 19, 2018 - 22:12

Meu cachorro é 'antissocial': o que devo fazer para corrigir?

Cachorro antissocial

Costume. Muitos cachorros brigam com os outros na rua por falta de sociabilização; ideal é ter contato a partir dos três primeiros meses

Foto: /Divulgação

Adestradora explica que nem sempre a reatividade canina significa agressividade, já que muitos apresentam uma série de outros comportamentos, como ansiedade, excitação, medo, e reagem assim por não saberem lidar com a situação


SÃO PAULO

Muitas vezes os cães começam a latir e avançam em outros cachorros quando estão passeando com o dono. Pode até ser constrangedor quando o seu pet, que parece calmo e sociável, começa a ficar agressivo de repente na presença de outros cães e avança sobre eles. Segundo Suelen Helena Reis de Carvalho, adestradora e franqueada da Cão Cidadão, em São Paulo,  estes animais podem se tornar antissociais e desenvolver comportamentos agressivos por diversas razões. "Falta de sociabilização nos primeiros meses de vida, experiências ruins, falta de estrutura na rotina diária, falta de liderança por parte da família, isolamento, estresse, frustração por mau uso da guia, medo, dominância, dor, territorialismo, ambientes tensos, posse por objetos ou pessoas, etc", ressalta a especialista.

A adestradora explica que nem sempre a reatividade canina significa agressividade, já que muitos desses cães apresentam uma série de outros comportamentos, como ansiedade, excitação e medo, e reagem dessa forma por não saberem lidar com a situação. "Um bom trabalho de reabilitação e treinos vão mostrar que se a causa da reatividade for eliminada, com base na construção de associações positivas, o mau comportamento naturalmente se extinguirá", disse.

Para a especialista, existem diversos tipos de agressividade por parte do cachorro, que pode se territorial, por dominância (quando ele tem muita liberdade e nenhum limite), por posse, por medo, por transferência (quando não consegue atingir o objetivo dele, acaba atacando o que tem mais próximo) e reativos na guia de passeio (ansiedade, medo ou desconforto associado a outro cão).

"Entre as principais causas, podemos destacar a sociabilização feita de maneira incorreta. Ela nada mais é do que apresentar ao cão diversos estímulos e situações diferentes, para que ele aprenda a lidar com eles", diz.

Segundo a especialista, esse processo de adaptação deve acontecer durante os primeiros três meses de vida do cão. Isso contribui não só para a convivência dele com outros animais e pessoas, mas também para o seu bem-estar, pois evitará que ele sinta medo ou desconforto. "É importante destacar que a sociabilização pode ser aprimorada em qualquer momento da vida do cão".

Suelen conta ainda que a aproximação entre os cães deve ocorrer aos poucos, com uma boa distância entre eles. Cada condutor deve estar bem atento às reações do cão que está ao seu lado. Deve-se, por outro lado, valorizar e recompensar os comportamentos desejados e esperados para esta situação. "Se o cão, mesmo já tendo visto o outro, se mantiver em uma posição relaxada, deve ser elogiado e recompensado. Quando tiver certeza que ambos estão tranquilos, é possível permitir que se cheirem, pois é neste momento que a relação entre os cães realmente se iniciará", disse..

Comportamento do dono também foi influenciar, ressalta a especialista

EXEMPLO. A adestradora Suelen Helena Reis de Carvalho ressalta que a reação dos donos quando outros cães se aproximam também é muito importante. "Se a resposta for ficar apreensivo e tenso, puxar ou encurtar demais a guia e preparar para conter o cão, então, está aí o problema. Os cães captam muito facilmente o estado emocional de seus tutores e reagem de acordo com a situação. Se você fica nervoso quando algum cão desconhecido se aproxima, o seu cão pode interpretar isso como um sinal de perigo e ficará agressivo quando se encontrar com outros animais", disse. Segundo Suelen,é imprescindível que você mantenha a calma e aja naturalmente durante esses encontros, pois o seu cão ficará mais calmo se perceber que você também está tranquilo. Isso o ajudará a evitar a briga. Porém, esteja sempre pronto para repreender qualquer comportamento agressivo dele.. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO