Nossa Região

Com um ano de atraso, Alckmin entrega interligação do Paraíba

Principal obra do governador para a segurança hídrica da capital, a interligação se junta ao prolongamento da rodovia Carvalho Pinto e ao Trem Intercidades como 'vitrines' para a campanha à Presidência da República

Xandu Alves@xandualves10
01/03/2018 às 22:32.
Atualizado em 08/07/2021 às 07:01
Maratona. Geraldo Alckmin (PSDB) durante a entrega das obras de prolongamento da Carvalho Pinto (Rogério Marques/OVALE)

Maratona. Geraldo Alckmin (PSDB) durante a entrega das obras de prolongamento da Carvalho Pinto (Rogério Marques/OVALE)

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), vai inaugurar neste sábado a primeira fase das obras da interligação entre as represas de Jaguari, da bacia do rio Paraíba do Sul, e Atibainha, do Sistema Cantareira.

Com quase um ano de atraso -- ela deveria ter sido entregue em abril de 2017--, a obra é a principal intervenção de Alckmin para reforçar o abastecimento de água na Grande São Paulo.

A interligação se junta ao prolongamento da rodovia Carvalho Pinto e ao Trem Intercidades como as principais "vitrines" do tucano na campanha à Presidência da República. Principal nome do PSDB na corrida ao Planalto, Alckmin deve deixar o governo em abril para concorrer nas eleições.

Procurada nesta quinta-feira, a Sabesp, responsável pela interligação, informou que as informações sobre ao término da obra serão dadas no sábado, pelo próprio governador. Alckmin participará da solenidade de entrega em Nazaré Paulista.

Polêmico, o projeto recebeu críticas na RMVale por tirar água de Jaguari para levar ao Sistema Cantareira. O inverso dependerá da segunda fase das obras. Na primeira fase, os trabalhos custaram R$ 555 milhões. "A obra permitirá um aumento em 5.130 litros por segundo na oferta de água, o que dá para abastecer 1,5 milhão de pessoas. A interligação funciona para os dois lados", disse o governador de São Paulo.

Comitê de Bacias do Paraíba vai começar a discussão do futuro da Bacia do Jaguari

Os membros do CBH-PS (Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul) começarão a discutir o futuro da Bacia do rio Jaguari, por meio da lei dos mananciais. A nova regra definirá o uso e ocupação do solo em toda a bacia, que inclui sete cidades, quatro no Vale: São José, Jacareí, Igaratá, Monteiro Lobato, Santa Isabel, Arujá e Guarulhos..

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por