São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Fevereiro 23, 2018 - 22:53

São José vai levar denúncia de suposta corrupção na SSM ao MP

Paço Municipal

Paço Municipal

Foto: Rogério Marques

Investigação de supostas irregularidades na extinta Secretaria de Serviços Municipais começou no governo Carlinhos Almeida (PT) e está sendo concluída na gestão de Felicio Ramuth (PSDB); caso será levado ao MP

Hernane Lélis @jornalovale

Supostas irregularidades na SSM (Secretaria de Serviços Municipais) de São José dos Campos, entre os anos de 2014 e 2016, estão sendo investigadas pela prefeitura. Uma auditoria que corre em sigilo na administração está prestes a ser finalizada e apura a existência de um esquema para emissão de ordem de pagamento por materiais de construção que não teriam sido entregues na regional leste da extinta SSM, hoje Secretaria de Manutenção da Cidade.

A investigação teria apontado que o provável esquema renderia cerca de R$ 15 mil por mês a dois ex-funcionários comissionados do local, ligados a vereadores da cidade, que, inclusive, ainda estariam trabalhando na Câmara. Os trabalhos de apuração foram abertos a pedido do ex-prefeito Carlinhos Almeida (PT) e uma nova auditoria foi concluída recentemente pelo governo Felicio Ramuth (PSDB) estendo as apurações para outras unidades regionais.

De acordo com a Secretaria de Governança, o relatório, sob responsabilidade da controladoria interna, está em fase final da elaboração.

"Assim que for concluído, será encaminhado ao Ministério Público", disse em nota a pasta.

No MP, o processo pode continuar em sigilo caso a promotoria entenda a necessidade ou alguma das partes envolvidas solicite e o pedido seja deferido.

ESQUEMA

O esquema, segundo informações apuradas pela reportagem de OVALE, rendia de R$ 30 mil a R$ 40 mil por mês, sendo que ao menos R$ 15 mil eram divididos entre os ex-servidores e o restante ficava com a empresa fornecedora dos materiais. Para ter o valor, além de emitir nota e garantir o recebimento das mesmas, a empresa também declarava a entrega de uma quantidade de material superior a que realmente descarregou nos pátios das regionais.

A situação teria levantado suspeita após diversas reclamações de moradores sobre ruas não pavimentadas da cidade que ainda não tinham recebido camada de pedra para manutenção.

Com menos material entregue à secretaria, o setor responsável tinha dificuldades em suprir todas as demandas.

A controladoria interna da prefeitura deve encaminhar o relatório para a promotora Ana Cristina Ioriatti Chami, da 7ª Promotoria de Justiça de São José nos próximos dias. Onde novas diligencias devem ser realizadas e o caso pode virar um processo judicial..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO