São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Dezembro 22, 2017 - 11:39

Fundador da Embraer, Ozires Silva defende negociação com a Boeing

Ozires Silva é homenageado na Embraer nesta segunda-feira (11)

Ozires Silva é homenageado na Embraer nesta segunda-feira (11)

Foto: Rogério Marques / OVALE

Marcos Eduardo Carvalho
São José dos Campos

A notícia de uma possível compra da Embraer pela norte-americana Boeing agitou na quinta-feira o mercado da aviação. Com grande repercussão nas redes sociais, muitos temem até a saída da empresa de São José dos Campos ou uma demissão em grande escala de funcionários. Porém, para o engenheiro Ozires Silva, fundador da empresa, em 1969, um eventual acordo entre as partes será benéfico para a fabricante de aviões e também para o país.

"Não se trata de uma compra da Embraer pela Boeing. Eles estão propondo uma parceria. Não é uma coisa ruim, ao contrário. É uma proposta muito honrosa para a empresa. Quando poderíamos imaginar que a Boeing iria se preocupar com o Brasil? Eles querem uma parceria, pois estão com dificuldades na área técnica deles. A Boeing já elogiou muito a capacidade dos nossos colaboradores e está interessada nisso", afirmou Ozires, que também é colunista do jornal OVALE.

O fundador da empresa joseense até se permitiu brincar com a situação. "Não há negociação para a Boeing comprar a Embraer. Vai que a Embraer compre a Boeing?", disse, por telefone.

PARCERIA.

Ozires Silva lembrou que a gigante francesa Airbus, maior fabricante de jatos comerciais do mundo, adquiriu a canadense Bombardier, principal concorrente da Embraer. Assim, uma parceria parecida entre a empresa brasileira e a Boeing vai ser boa para enfrentar esses outros concorrentes. "Não tem como concorrer com o mercado europeu. Mesmo o governo brasileiro apoiando a Embraer, a diferença é muito grande para o mercado europeu. E a Boeing também precisa de apoio técnico para concorrer com eles. Se essa parceria acontecer, vai ser muito bom para o Brasil. Vamos entrar para o grupo dos grandes times internacionais", ressalta.

"Quando fundamos a Embraer, nunca imaginávamos que a gente poderia fazer uma parceria dessas. O mercado aeronáutico não é nada fácil e um acordo desses, se vier, vai ser muito bom para o país. Eles estão nos levando para esse outro patamar", explica.

Segundo Ozires, o acordo de parceria entre Boeing e Embraer poderá até gerar mais empregos. "O Brasil tem que pensar grande. Não podemos pensar pequeno. O ano de 2018 vem aí e temos que fazer mais pelo país", afirmou o fundador da Embraer.

CONVERSA.

Na quinta-feira, através de nota, José Antonio Filippo, vice-presidente Executivo, Financeiro e Relações com Investidores da Embraer, confirmou que as companhias "encontram-se em tratativas em relação a uma potencial combinação de seus negócios, em bases que ainda estão sendo discutidas".

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO