São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Esporte
Agosto 22, 2017 - 22:42

Conheça Duque, o 'cão de guarda' do Martins Pereira

Duque

Duque

Foto: /Rogério Marques

'Torcedor' da Águia do Vale tem casinha própria no estádio e teria até avançado nos seguranças do ex-prefeito Carlinhos Almeida (PT) em 2014

Marcos Eduardo [email protected]
São José dos Campos

O São José vive um bom momento no Campeonato Paulista da Quarta Divisão. Classificado para as quartas de final, se prepara para encarar o União, em Mogi das Cruzes, no sábado, às 15h30. Em meio a tudo isso, o clube parece ter ganho um 'torcedor' para lá de especial.

E o mais fiel entre todos os seguidores da Águia do Vale. Faça chuva ou faça sol, ele está em todos os jogos da equipe no estádio Martins Pereira.  Ele já virou até atração entre os demais torcedores e também entre os funcionários do estádio onde o São José manda seus jogos. E não se trata de uma pessoa qualquer. Trata-se do pequeno Duque, um cãozinho vira-latas de 6 anos de idade, que já virou figura folclórica - não só no estádio, como também na região.

Ao menos este ano, o cachorrinho vem sendo pé quente para a Águia. Após o jogo contra o Itararé, no último domingo, estava na arquibancada à esquerda do gol das cabines de imprensa, tranquilo com a classificação do time.

Duque tem até um 'quarto' (ou uma casinha), com direitoa roupinha de frio, dentro do estádio, no túnel de acesso para os vestiários. Ele sabe de tudo o que acontece por lá.

E quem pensa que ele faz suas necessidades fisiológicas no estádio, está enganado. "Aqui dentro você não acha nada dele. Faz tudo na rua", conta um dos vários funcionários da Urbam (Urbanizadora Municipal), que cuida da manutenção do estádio.

No local, funcionários contam que Duque nasceu nas obras da UBS do Jardim Paulista, ao lado do estádio, mas sua mãe teria morrido atropelada logo depois. Órfão, ele teria 'adotado' o estádio, de onde sai para fazer suas necessidades, buscar namoradas e, como já foi dito, ir à feira e até na missa.

"Todo mundo gosta dele aqui. O Duque ganha ração e até carne do pessoal que faz caminhada aqui no estádio. Ele também vai na feira e na missa aqui na igreja", conta outro funcionário.

APOLÍTICO.

Mas Duque parece não gostar muito de política. Entre os torcedores, corre uma história que em 2014, no dia da reinauguração do estádio, o pequeno Duque teria estranhado avançado sobre os seguranças do então prefeito Carlinhos Almeida (PT). A insubordinação de Duque fez com que funcionários do estádio o levassem para uma chácara perto de Jambeiro, de pessoas conhecidas. Mas não ficou muito tempo fora. "Ele ficou cerca de 20 dias por lá e voltou, sozinho. Desde então, nunca mais ninguém tirou o Duque daqui".

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO