São José dos Campos
20º / 31º
Tempo nublado parcialmente, com sol entre poucas nuvens no Vale
Nossa Região
May 15, 2012 - 03:03

Alckmin inaugura hoje duplicação da Tamoios

Obras de duplicação da Tamoios

Victor Moriyama

Obras começam no trecho de planalto; governador acompanha o trabalho no km 28, em Paraibuna

Carolina Teodora
São José dos Campos

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) visita hoje a região para dar início às obras de duplicação do trecho de planalto da Rodovia dos Tamoios (SP-99).
O encontro será em Paraibuna, às 10h30, no km 28 da rodovia. A visita representa o início oficial das obras com maquinário nas pistas. Na última semana, foram instaladas placas para orientar os motoristas.
A duplicação, que vai levar 20 meses para ser concluída, será executada pelas empresas Encalso e S.A. Paulista que em consórcio venceram a licitação da obra.
Os serviços vão custar cerca de R$ 557,4 milhões aos cofres do Estado e prometem transformar a Tamoios em uma das rodovias mais modernas do país.
Além de uma nova pista ao lado da atual, serão implementados recursos de segurança como sinalização anti-ofuscante, passarelas e barreiras de concreto.
Após as obras, a Tamoios contará com duas faixas de tráfego por sentido com 3,60 metros cada, mais acostamento e faixa de segurança. A duplicação será do km 11,5, em São José, até o km 60,4, em Paraibuna.
As obras vão exigir ainda a desapropriação de 250 propriedades às margens da rodovia que juntas abrangem uma área de 1,670 milhão de metros quadrados --o equivalente a 167 campos de futebol-- que vai consumir R$ 40 milhões do Estado.

Novela. Promessa recorrente dos governos tucanos desde 1994, a duplicação da Tamoios nasceu na campanha do governador eleito naquele ano, Mário Covas, a partir de demanda apresentada pelos prefeitos da região.
Depois, ela voltou a ser objeto de campanha eleitoral com o próprio Alckmin, em 2002, posteriormente eleito, e com o ex-governador José Serra, em 2006, também eleito. Em 2010, antes das eleições, Alckmin classificou a duplicação como a principal obra estadual a ser realizada no seu governo.
No último dia 24, o governador assinou os contratos para execução do serviços.

Segurança. O principal objetivo da duplicação é aumentar a segurança da rodovia que liga às cidades do Litoral Norte. A Tamoios recebe cerca de 45 mil veículos por dia, segundo dados da Secretaria de Logística e Transportes do Estado.
Levantamento da Polícia Rodoviária Estadual mostra que as vítimas fatais na Tamoios subiram de 18 em 2008 para 30, no ano passado. No mesmo período, os acidentes saltaram de 1.070 para 1.257.
O restante da duplicação, que abrange a duplicação do trecho de serra e contornos viários no Litoral Norte, está em fase de análise.

 

Consema abre debate sobre novo trecho de obra
São José dos Campos

O Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente) realiza amanhã uma nova audiência pública sobre as obras viárias do contorno Caraguá/São Sebastião --que integra o pacote de duplicação da Tamoios.
O órgão informou que o debate tem objetivo de discutir o Eia/Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental) da obra. O encontro começa às 18h, no Teatro Mario Covas, no Indaiá, região central.
Na próxima segunda-feira será realizada uma nova audiência pública em São Sebastião no Teatro Municipal.
As novas audiências públicas sobre o projeto foram solicitadas pelos representantes da sociedade civil que pediram mudanças no traçado da pista. O cronograma de implantação dos contornos sul de Caraguá e São Sebastião prevê a execução do empreendimento em um prazo de 36 meses e um orçamento previsto de aproximadamente R$ 762 milhões.


POR DENTRO

o que
Governador Geraldo Alckmin (PSDB) visita hoje à região para dar início as obras de duplicação da Tamoios. Encontro será às 10h30 em Paraibuna

Obra
A duplicação da Tamoios começará pelo planalto, num trecho de 49 quilômetros, por R$ 557 milhões. As obras devem ser concluídas em cerca de 20 meses

Pacote
Em novembro, o projeto de duplicação do trecho de serra e contornos deve ser concluído após as audiências que serão realizadas amanhã

custo
Além da obra de engenharia, o Estado vai custear desapropriações e consultas ambientais. Inteira, a Nova Tamoios deverá custar R$ 4,9 bilhões aos cofres do Estado

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade