Término da duplicação da Tamoios é adiado para janeiro

Xandu Alves
São Paulo - Atualizado às 2h27

A duplicação do trecho de planalto da Rodovia dos Tamoios vai atrasar 30 dias para ser entregue completa. Prevista para ser finalizada na próxima segunda-feira, com a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB), a obra só será entregue em 15 de janeiro de 2014.

Além disso, os serviços ficarão R$ 115 milhões acima do valor licitado, de R$ 557 milhões (leia texto nesta página). As obras começaram em maio de 2012.

A Secretaria de Estado de Transportes culpou a chuva e uma pane em duas máquinas (guindaste e treliça) pelo atraso, que afetou um trecho de 1,5 quilômetros entre os km 26 e 28 da Tamoios, em Paraibuna, conhecido como serrinha. Os problemas ocorreram entre o final de novembro e início de dezembro.

Crítico.
Trata-se de um dos pontos críticos da obra apontados por O VALE há quase um mês. O jornal percorreu a estrada na companhia do engenheiro Ronaldo Garcia.

A alteração no cronograma provocará a interrupção das obras em 19 de dezembro, para não afetar o movimento na estrada no final de ano. A previsão é que a Tamoios receba cerca de 30 mil veículos por dia entre o Natal e o Ano Novo, o dobro do tráfego normal.
As obras serão retomadas até 7 de janeiro, dependendo do movimento na estrada e das condições climáticas do início do ano.

Operações.
Segundo Saulo de Castro Abreu Filho, secretário de Estado de Transportes, o atraso não afetará o contrato da obra, que previa serviços até 15 de janeiro. Responsável pela duplicação do trecho de planalto, o consórcio Encalso S.A. Paulista não será punido.

O secretário disse ainda que todas as operações na pista serão suspensas para não afetar o tráfego no final de ano. “Não teremos operações Pare e Siga, cones e nem interrupções na pista. No trecho da serrinha, os motoristas terão duas faixas para descer e duas para subir. A rodovia estará duplicada”, disse.

Alterações.
Entre os km 26 e 28, a partir de 19 de dezembro, os motoristas usarão a pista nova da Tamoios para descer no sentido Litoral Norte e a pista velha, para seguir no sentido de São José dos Campos.

Hoje, as pistas têm um desnível de oito metros no trecho da serrinha, diferença que será retirada com a retomada das obras, em janeiro. “Teremos toda a sinalização necessária no local para orientar os motoristas. Não prevemos problemas”, ressaltou Abreu Filho.

Após o retorno dos trabalhos, a pista nova terá o trajeto modificado na serrinha, ligando-se a um viaduto que está sendo construído no local. A intenção é suavizar as curvas e atenuar a descida.

Laurence Casagrande Lourenço, presidente da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A), explicou que o atraso da obra foi uma opção tomada para evitar transtornos para os usuários no período de festas.

“A engenharia pediu dois dias para concluir a pista nova na serrinha, mas teríamos que interromper o tráfego completamente. Por cautela, decidimos suspender as obras e retomar em janeiro, quando o movimento voltar ao normal.”

Segundo Lourenço, o trecho da serrinha precisará de uma semana de trabalhos ininterruptos em janeiro para ser concluído. Durante a fase de interrupção das obras, a velocidade máxima permitida na Tamoios continuará reduzida, de 80 km/h para 60 km/h.
De acordo com a Dersa, o limite só voltará ao normal após a entrega da rodovia.

 

Representantes da Dersa e do Estado anunciam suspensão da obra da Tamoios_Foto: Claudio Vieira
Saulo de Castro Abreu Filho (esq), secretário
de  Transporte, durante entrevista ontem
Foto: Claudio Vieira


 

Obra será concluída com custo extra de R$ 115 milhões 
Licitada por R$ 557,4 milhões no início do ano passado, a duplicação do trecho de planalto da Rodovia dos Tamoios, que tem 49 quilômetros, custará R$ 672,4 milhões.O custo extra de R$ 115 milhões, segundo a Secretaria de Estado dos Transportes, foi necessário para pagar “obras extras” pedidas.

O secretário Saulo de Castro Abreu Filho nega que a obra tenha ficado mais cara. “Tínhamos uma Tamoios e entregaremos uma outra Tamoios, muito melhor. Foram necessárias várias obras extras que encareceram o projeto inicial”, disse.

“Não se trata de aditamento do valor do contrato ou de erro nos cálculos. Foi mais serviço mesmo que teve que ser realizado pelo consórcio.”

Economia.
Mesmo com a alteração no valor, a Secretaria de Transportes disse que Estado manteve economia obtida na licitação, em torno de 32%. “Se pegarmos tudo que foi feito na obra até hoje e incluirmos na licitação de 2012, a economia que Estado conseguiu se manteria na casa de 32%”, afirmou Laurence Casagrande Lourenço, presidente da Dersa.

Segundo ele, foram necessárias obras extras para fazer acessos, troca da qualidade do asfalto usado na pavimentação e de barreiras no canteiro central. “O volume de rochas também exigiu um gasto extra com detonações e movimentações de pedras”, afirmou ele.

 

SAIBA MAIS SOBRE AS OBRAS NO PLANALTO DA TAMOIOS

Planalto
O trecho de planalto da Tamoios vai do km 11,5 (São José) ao km 60,48 (Paraibuna)

Obra
A duplicação do planalto começou em maio de 2012, ao custo de R$ 557,4 milhões

Entrega
A data inicial prevista pela Dersa para a entrega definitiva da duplicação era 16 de dezembro de 2013

Atraso
Chuvas entre o final de novembro e o início de dezembro e uma pane em duas máquinas causaram atraso na obra, que será finalizada em 15 de janeiro de 2014

Serrinha
As obras estão atrasadas num trecho de 1,5 km entre os km 26 e 28, na serrinha, em Paraibuna

Custo
O valor também subiu para R$ 672,4 milhões, R$ 115 milhões a mais do que o valor licitado

Extra
A Secretaria de Transportes diz que foram feiras obras extras que encareceram o projeto, como troca da qualidade da pavimentação e acessos