Guindastes da Sany Foto: Foto: Cláudio Capucho

São José amarga nova queda no emprego e fecha 534 vagas

 Paulo Lopes
São José dos Campos


São José ‘amargou’ em setembro seu segundo pior desempenho do ano na geração de empregos formais--foram fechados 534 postos de trabalho. O saldo só não é pior que o de junho, que teve 855 vagas fechadas.
O balanço é referente ao Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado ontem pelo Ministério do Trabalho.
Na contramão, Taubaté registrou saldo positivo de 412 empregos, sua segunda melhor marca de 2012. 
No acumulado do ano, a cidade tem 2.509 vagas geradas. Apesar de positivo, no entanto, o saldo é 40% menor que o registrado no mesmo período do ano passado (leia texto nesta página).

Crise. Em São José, o setor que puxou a queda no emprego em setembro foi a indústria de transformação, com 240 postos fechados. 
Segundo o secretário de Relações do Trabalho da cidade, Ricardo Dinelli, o resultado é reflexo do PDV (Programa de Demissão Voluntária) da General Motors. 
Após alta em agosto, o setor da construção civil perdeu 127 vagas em setembro.
Segundo o presidente da Aconvap (Associação das Construtoras do Vale do Paraíba), Cléber Córdoba, a tendência é de nova queda.
“Muitas obras estão em fase final e poucas obras novas iniciando. Isso porque houve redução substancial de projetos aprovados na cidade na vigência da nova Lei de Zoneamento, que engessa o desenvolvimento do mercado na cidade”, afirmou.

Análise. “O que nos preocupa é que os principais setores estão negativos. Mas acredito que a partir deste mês os números sejam melhores”, disse Dinelli.
O secretário cita a redução do juros como forma de impulsionar o consumo e a produção, refletindo na contratação de funcionários.
No ano, São José tem 777 empregos gerados. No mesmo período de 2011, o saldo era de 1.536 postos. A principal diferença está na indústria. Em 2011, o saldo era positivo (1.369). Neste ano, é negativo, de 449 vagas. 

Sany suspende obras em Jacareí

Jacareí

A fabricante chinesa de guindastes e escavadeiras Sany suspendeu temporariamente as obras da nova fábrica em Jacareí devido a crise no mercado brasileiro e sul americano de máquinas. 
As obras ainda não tem data para recomeçar, mas segundo a empresa, a fase de construção deve reiniciar no próximo ano na medida em que o mercado se recuperar.
“O cronograma será ajustado ao ritmo dos mercados brasileiro e sul-americano de máquinas para construção” disse o grupo em nota.
Em setembro, a empresa terminou o processo de terraplenagem e era para ter iniciado a construção dos galpões e escritórios. Quando o investimento foi anunciado, a previsão inicial era que as obras fossem finalizadas no primeiro semestre do ano que vem.
A fábrica da Sany será construída em um terreno de 568 mil m² as margens da Rodovia Presidente Dutra. E caso seja finalizado, será o maior parque industrial fora da China. 
Estava previsto a geração de 500 empregos nas obras e 1.000 na fase de operação. 
A prefeitura de Jacareí só irá se pronunciar quando for comunicado da suspensão pela empresa.

São José. A Sany informou também que neste momento, irá concentrar os investimentos na planta de São José.
Por questão estratégica, o grupo não informa os valores dos investimentos, mas disse que neste ano já foi investido R$ 10 milhões na área de pós-vendas e o armazém de peças.
Na fábrica de São José, há 250 funcionários. Em janeiro era 350. 

NA CONTRAMÃO


Taubaté gera 412 vagas em seu 2º melhor mês no ano
Taubaté

O saldo de empregos formais, com carteira assinada, em Taubaté cresceu pelo quarto mês seguido e teve o segundo melhor resultado do ano em setembro. 
Segundo o balanço do Caged, a cidade teve um saldo positivo de 412 vagas. 
O melhor resultado foi do setor da indústria de transformação, com 337 empregos gerados. O pior desempenho foi registrado em serviços, com saldo negativo de 38 vagas.
No acumulado do ano, já foram gerados 2.509 empregos na cidade. Apesar do saldo ser positivo, no mesmo período do ano passado, havia um saldo maior --de 4.222 vagas.
Segundo a presidente da Acit (Associação Comercial e Industrial de Taubaté), Sandra Teixeira, em 2011, as indústrias apresentaram um melhor desempenho e isso refletiu também nos outros setores.
Ainda assim, o setor de indústria de transformação apresenta o maior saldo do ano, com 1.062 postos de trabalho. Em seguida, vem serviços (693) e construção civil (475).

Alta. Sandra disse que, até o fim do ano, a geração de emprego deve continuar crescendo.
“O comércio já começou a contratação de funcionários temporários e que posteriormente podem ser efetivados. E o novo shopping da cidade deve gerar cerca de 4.000 empregos diretos e indiretos”, disse a dirigente.
A prefeitura foi procurada para analisar os números mas ninguém comentou. 

Jacareí. Segundo balanço do Caged, Jacareí apresentou saldo positivo de 184 postos de trabalhos. O setor de serviços puxou a alta com 136 vagas.

Clique aqui, curta a fanpage do O VALE no Facebook e fique por dentro das principais notícias de nossa região.

Comentários





Nossa o povo tá confundindo CIESP com CAGED.Ciesp é um órgão estadual que congrega as indústrias de determinada região.Aqui no Vale são 3 Ciesps(Jacareí,SJC e Taubaté).Caged é cadastro geral de empregados e desempregados, e diz respeito única e exclusivamente a cada cidade.Taubaté(só ela) há anos detém o título de maior geradora de empregos da região.Só o ano passado foram mais de 5,5 mil empregos.Esse ano está o pouco pior mas deve alcançar os 3,5 mil, sem contar o novo shopping.Isso sem contar as várias fábricas em construção na cidade.Respeito a opinião de cada um aqui,mas quando se trata dos níveis de Taubaté o pessoal de fora na hora lembra do Ciesp, que engloba 28 municípios, mas se esquecem que é o Caged que levanta estes dados. pois leva em conta serviços,comércio, construção civil e indústria de CADA MUNICÍPIO.O pessoal falou da GV de Pinda será realmente uma benesse a todo o vale, mas vai gerar não mais que 600 postos diretos.Estão chutando muito alto essa ideia de 5 mil empregos, mesmo em se levando os indiretos.E quando estes postos de trabalho estiverem sendo gerados será a vez de Pinda ser agraciada com uma boa notícia.Mas Pinda cresce porque Taubaté está crescendo muito e está levando Pinda junto.

Por: Vitor Taubate, 18 October 2012 18:38

Mas o O Vale sempre passa os dados das principais cidades após o anúncio geral, acredito que saia amanhã ou depois, sempre se mostra os dados de SJC, Taubaté, Jacareí, mas também Pinda, Caçapava, Caraguá, Guará, Cruzeiro, e Lorena.

Por: Magnum, 18 October 2012 17:15

Concordo Felipe. Jacareí mal é citada, quiçá Pindamonhangaba. É que nessas notícias, é muito cômodo falar apenas de SJC e Taubaté, que assim como Jacareí, possuem unidades do Ciesp, constituindo-se em regiões. Ontem, por exemplo, ao falr de emprego, sequer citaram a regional Jacareí. Então, fica fácil somente falar de São José, e ignorar, por exemplo, que o resultado de SJC só não foi pior, porque houve ganho de empregos em Caçapava. Ou lembrar de cidades como Pindamonhangaba (Regional Taubaté), e o forte crescimento na geração de empregos na cidade, sem falar na expectativa de novos empregos, com a iinstalação da Siderúrgica GV, além da Marfinet, entre outras. Ou cidades com boas perspectivas no médio prazo, como Lorena, Guará e Cruzeiro (onde houve forte recuperação no emprego, nos últimos dois anos). Além do litoral norte, embora a economia do litoral norte, seja extremamente sazonal, por causa do turismo, e das obras do pré-sal. Cabe registrar também, no caso de Pinda, que é uma cidade que emprega bem, mas é muito vulnerável a uma crise (também como São José), como aconteceu em 2009, por causa de seu parque industrial, voltado a economia de base, diferentemente de Jacareí, por exemplo, cujo parque industrial é mais diversificado.

Por: Jeferson, 18 October 2012 16:03

MAIS UMA FÁBRICA INDO EMBORA DE SJC, ESPERO QUE SEJA A ÚLTIMA COM A DERROTA DO PSDB EM NOSSA CIDADE QUE AMARGA DESEMPREGO POR CONTA DA POLÍTICA NEOLIBERAL DESSE PARTIDO QUE GRAÇAS A DEUS FOI POSTO FORA DA PREFEITURA PELO POVO.

Por: wing, 18 October 2012 16:01

Porque não falam de pindamonhangaba? Se um dia voces forem para lá irão ver o quanto a cidade esta crescendo, e a quantidade de industrias que estão se instalando por lá. Recentemente começou as obras de uma empresa siderurgica mexicana e será a concorrente direta da gerdau onde irá gerar 5 mil empregos.

Por: Felipe Loko, 18 October 2012 13:52

O Brasil não esta crescendo ou esta crescendo menos, o governo Dilma esta empacado, os investimentos abaixo do necessário, a industria em níveis de 1930,o vácuo do crescimento mundial passou e o Brasil não fez as reformas necessária para crescer.

Por: sergio, 18 October 2012 13:41

Concordo com o comentário do leitor abaixo, senão vejamos:- "A queda nas vendas da construção civil, não é por conta da nova lei de zoneamento, mas porque saturaram o mercado e por conta também da incerteza de manutenção dos empregos. Comentado por Jose Arimateia Landim, 18/10/2012 11:31" No Brasil, segundo estudos, ( os Senhores façam o cálculo tomando por base o preço do M2 em S. José, atualmente... ) o metro quadrado de um imóvel novo custa US$ 1.600/US$3.000. Em Nova York, o valor pula para US$ 16 mil, mas está RECUANDO devido a CRISE(?).,Em Paris, França, o valor é US$ 13 mil, também RECUANDO e muito., Em Madrid, na Espanha, ficava em US$ 3.400 chegando atualmente na faixa dos US$ 1.500/US$ 2.000 e RECUANDO.,Na Cidade do México, era de US$ 1.800, caindo para US$ 1.000/US$1.300 DEVIDO A VIOLÊNCIA DESENFREADA E A CRISE(?). O mercado varia, evidentemente, de acordo com a localização e a qualidade da construção. Como o mercado imobiliário está SATURADO e a qualidade de certos empreendimentos ( MATERIAIS EMPREGADOS DUVIDOSOS) e a INCERTEZA E OS BOATOS CRESCENTES DE DEMISSÕES, a tendência é que haja um forte DESAQUECIMENTO do referido setor., então, teremos que chamar o CHAPOLIM COLORADO ( El Chapulín Colorado), pois nem a MÃE DINÁ + JUCELINO saberão prever o futuro.

Por: Alvaro Pedro Neves Pereira, 18 October 2012 12:56

UÉ!!!! CADÊ A MARAVILHOSA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. É ASSIM QUE O BRASIL TERIA QUE SE ESPELHAR EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS? CADÊ A FÁBRICA DE EMPREGOS? EMPREENDEDORISMO? CADÊ OS EMPREGOS? É PSDB ACHO QUE AGORA ESTÁ APARECENDO QUE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS NÃO É UMA CIDADE TÃO MARAVILHOSA COMO VOCÊS PREGARAM NA CAMPANHA ELEITORAL. POR ISSO O POVO QUIS MUDANÇA. PRECISAMOS DE EMPREGO. GRANDES UNIVERSIDADES ESTADUAIS FEDERAIS E ESTADUAIS, COM CURSOS DE MEDICINA, ENGENHARIA, ETC E NÃO ESSES CURSINHOS FRAQUINHOS. CARLINHOS OLHAI POR NÓS!!!!!!

Por: O SEMEADOR DE IDEAIS, 18 October 2012 12:27

Quanto mais alto o pinheiro, maior é o tombo! É óbvio, que se S.José é maior, tem mais empregos, quando começa a cair o ídice de atividade, teremos maior desemprego também!O mercado de máquinas para terraplagem caiu e muito, inclusive porque a grande maioaria das obras do PAC, estão empacadas.Umas barradas pelo Tribunal de Contas, por conta da corrupção. Outras por falta de verba que o governo não libera. Na verdade, o PAC faz mais barulho que obras A queda nas vendas da construção civil, não é por conta da nova lei de zoneamento, mas porque saturaram o mercado e por conta também da incerteza de manutenção dos empregos.

Por: Jose Arimateia Landim, 18 October 2012 11:31

AONDE ANDA O SECRETÁRIO DO TRABALHO DA PREFEITURA, SECRETARIA ESTA QUE SE PRESTA SOMENTE A CABIDE DE EMPREGO DOS ASPONES. SERÁ QUE O SENHOR JOSÉ LUIS AINDA ANDA POR LÁ ? OU JÁ COLOCARAM OUTRO ASPONE QUE NADA FAZ PELO EMPREGO NA CIDADE.

Por: Crozart, 18 October 2012 11:19

CADÊ A FÁBRICA DE EMPREGOS DO EMANUEL E EDNARDO ????? ETÂ POVINHO IDIOTA QUE ACREDITA EM PROMESSAS, CADÊ O ILUMINADO DO SECRETÁRIO FANTASMA DA SECRETARIA DE EMPREGO DE SJC DO GOVERNO CURY ???? NINGUÉM SABE NEM QUEM É ???? KKKKKKKKKKKK

Por: Joseense, 18 October 2012 10:12

ERRATA: Onde se lê: Fronteirissas, leia-se Fronteiriças.

Por: CASANOVA, 18 October 2012 09:11

Senhores, bom dia! O desempenho em gerar novos empregos, não somente em S. José, como em todo o estado e no Brasil, é que a mão de obra que o país possui não evoluiu satisfatoriamente, ou não evolui nada! O ensino é de péssima qualidade, as escolas "técnicas" a maioria é uma enganação, os cursos a distância idem, pois não levam o aluno a lugar nenhum, pois quem os administra, a maioria, tem interesses no bolso do pobre e incauto aluno., haja visto os cursos dados, chequem os folhetos que são distribuídos, onde você que me lê neste momento se encaixaria? Em nada ou praticamente nada! Não sejamos tão radicais, existem cursos ou empresas que o promovem, de qualidade insuspeita., é questão de procurar e peneirar os mesmos e se o curso a ser feito tem empresas em sua região que poderiam recrutá-lo. Não adianta fazer um curso à distância sobre " Análise de como processar a retirada do colmo das plantas da família Poaceae" ( Cana de açúcar), você teria que trabalhar em outras regiões de SP e do Brasil. Vejam a quantidade de pessoas que caíram no conto do concurso da câmara municipal de S. José.,Vejam quantos pessoas candidataram-se a vereadores em S. José e região, a maioria sem especificação alguma, querendo simplesmente trabalhar ou ter um emprego. Acessem o site:- http://www.educaedu-brasil.com/online/sao-paulo e fiquem sabendo de cursos ON-LINE GRATUITOS que possa vir a ser útil a você. Abraços Alvaro

Por: Alvaro Pedro Neves Pereira, 18 October 2012 09:09

Caro colega Sr. Magnum, 18/10/2012 07:40, realmente São José dos Campos tem que dar uma boa sacudida (para tirar as penas e seus respectivos piolhos) e dar a tão sonhada volta por cima. E isso já começou, com as últimas eleições, onde a população joseense (sábia população), expurgou as aves de rapina (sabia que tucano também é ave de rapina??? Olha o tamanho do bico?!). E esteja certo que a partir de 01 janeiro de 2.013, nossa cidade será outra. Ou melhor, voltará a ser a grande e invejada cidade do estado de São Paulo e do Brasil. Para lhe falar a verdade, fico triste e decepcionado, a cada divulgação dessas estatísticas do CAGED aqui na RMVP, se comparada às outras regiões do estado, que está em ritimo acelerado de expansão e desenvolvimento. Recentemente, fui à Franca fazer um curso e pelo caminho, observei a pujânça das cidades fronteirissas à Rodovia Anhanguera (Araras, Americana, Pirassununga, Limeira, Ribeirão Prêto etc...) e fiquei impressionado com o tamanho e a beleza das mesmas. Já fazia um tempo que não passava por lá e pude perceber como essas cidades se transformaram ao longo das décadas. São José dos Campos não pode mais continuar assim. A cidade é vocacionada ao progresso em desenvolvimento e tentaram bloqueá-la, permitindo quase a sua falência. Mas o inteligente prefeito eleito de São José dos Campos - Sr. Carlinhos de Almeida - sabe muito bem disso e vai dar prioridade em sanar essas mazelas (na verdade, restos de fezes secas deixadas pela ave mal educada, ao longo desses anos). Tenha certeza, que futuramente os novos dados do CAGED, mostrarão a retomada dos empregos, dos investimentos, da dignidade e do respeito com a população joseense. Esta cidade precisa ser respeitada.

Por: CASANOVA, 18 October 2012 09:06

Sim, o Vale perde de goleada para outras regiões. E isso é reflexo de um política equivocada da administração municipal de São José dos Campos -- que ainda é a maior cidade do Vale e portanto deveria ser a líder de uma pujança. Essa observação pode até ser refutada por taubateenses, jacareienses e até outros mais, mas no mundo é assim mesmo, quer dizer, é necessário se ter um líder para tudo e, nesse caso, para uma região, supõe-se que a cidade líder seja a maior de todas. O Vale do Paraíba perde muito com essa disputa imbecil de liderança (política). Por exemplo, a região metropolitana foi implantada com atraso, pois alguns grupos taubateenses preferiram disputar pela liderança da região do que pela sua implantação. E a atual administração municipal joseense foi extremamente pedante ao supor que a cidade já uma espécie de paraíso para empresas, um local elas se instalariam expontaneamente, por ter estar em uma posição estratégica, por ter mão de obra qualificada e assim por diante. Não criou-se uma política de atração e manutenção de investimentos e a cidade perdeu indústrias, seus empregos e a receita que geravam. Essa administração foi tão esnobe que não apresentou nem mesmo um projeto para a implantação de uma aeroporto descente, deixando que a inepta Infraero fizesse isso por si só, como se fosse natural que a cidade ganhasse um aeroporto, mesmo tendo muitas outras cidades com as mesmas pretensões. E nenhum dos representantes eleitos (deputados) pela região -- quer sejam da situação ou da oposição -- se dispôs a pleitear com afinco pela obtenção desse benefício para toda a população que os elegeram. Agora, resta-nos acreditar que a nova administração municipal joseense implantará uma política de atração e manutenção de investimentos. E que essa nova administração não se orgulhe em trazer apenas empresas operadoras de telemarketing, que podem até gerar muitos empregos, mas que pagam mal e não fazem a economia girar. Indústria paga melhor. E o funcionário que ganha mais, consome mais e gera mais empregos em outros setores da economia da cidade. Mas a cidade não pode ficar refém de um só setor da indústria, como por exemplo o da tecnologia, da aeronáutica ou do automobilístico, por exemplo, pois, se esse setor decai, a economia da cidade como um todo cai também. Precisamos diversificar o parque industrial da cidade e, além de trazer indústrias, devemos também abrir a cidade para um comércio pujante e o setor de serviços mais atuante. Só para ilustrar, abram qualquer revista de circulação nacional e prestem atenção aos anunciantes. Muitos tem filiais ou representantes em Campinas, Sorocaba, Piracicaba, Ribeirão Preto etc. e quase nenhum está presente em São José dos Campos, a segunda maior população do Interior de São Paulo e tão distante da capital quanto Campinas e Sorocaba. Quantas concessionárias de carros importados temos aqui? Bem, se tivéssemos mais empresas em todos os segmentos da economia, disputando mercado, a cidade iria ganhar em empregos, impostos, melhores preços e qualidades para produtos etc. E até mesmo esse jornal poderia faturar com mais quotas de publicidade, sem ficar refém de grupos monopolistas que só usurpam o bolso do consumidor joseense.

Por: Joao Felippe Junior, 18 October 2012 09:03

Mesmo com o resultado positivo e Taubaté e Jacareí os resultados ainda são tímidos de comparados a Sorocaba, Bauru, Limeira, Franca e tantas outras, o Vale tá perdendo de goleada para outras regiões.

Por: Magnum, 18 October 2012 07:40