Logo Jornal OVALE

notícias

Um painel musical, visual e sonoro da cidade de São Paulo, entre 1830 e 1880, abordando suas ruas, seus edifícios e habitantes. Este é o CD-livro "São Paulo: paisagens sonoras (1830-1880)", da pesquisadora, cantora, musicóloga e mezzo-soprano Anna Maria Kieffer, lançado pelo Selo Sesc.

Foram mais de duas décadas de pesquisa e coleta de material, realizando um árduo trabalho de garimpo acerca do cotidiano sonoro da cidade. Produzido pelo Selo Sesc, o álbum também chega às plataformas digitais de streaming no dia 18 deste mês.

O CD reúne a música e os ruídos de São Paulo em meados do século 19 em um panorama eclético, que abrange de pregões de rua e cantigas tradicionais a obras de compositores como Carlos Gomes, André da Silva Gomes, Elias Álvares Lobo e os irmãos Alexandre e Luís Levy.

O acordeonista Gabriel Levy, descendente direto da família participa do disco e do espetáculo. Os versos são de importantes poetas do romantismo brasileiro, como Castro Alves, Bernardo Guimarães e Álvares de Azevedo.

A organização do disco em seis partes temáticas busca uma cronologia ascendente. O painel sonoro abrange a transformação da cidade a partir de um vilarejo de tropeiros, passando a importante centro de estudantes e chegando à beira da expansão industrial, urbanística e cultural que a caracterizará a partir da década de 1880. São abordadas cantigas de rua, pregões, cantos de trabalho, músicas compostas e executadas pelos estudantes do Curso Jurídico (atual Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo). Também são ressaltados os movimentos abolicionista e republicano, os modelos culturais trazidos pelos primeiros imigrantes europeus e a formação de clubes musicais que contribuíram para a maior internacionalização da prática musical no período.

"Ao escutar o CD que temos em mãos, somos transplantados para outro tempo, numa jornada de conhecimento e fruição. São de fato sonoras as paisagens! Entre composições musicais populares, eruditas, profanas ou sacras, temos também sugestões de ruídos urbanos ou não tão urbanos, de uma natureza que se fazia ouvir", afirma Danilo Miranda, Diretor Regional do Sesc São Paulo.

Se fosse uma pessoa, a Galinha Pintadinha já poderia ser considerada uma “pré-adolescente”. Com 12 anos de trajetória, a personagem segue encantando o público infantil no Brasil com uma estratégia bem simples: estar presente na vida de pais e filhos tanto no ambiente digital quanto no mundo off-line.

Fenômeno da internet desde sua criação, em 2006, a Galinha Pintadinha praticamente cresceu com o YouTube ao longo da década. Em 2018, alcançou mais de 19 bilhões de visualizações, em todos os canais oficiais da personagem, ainda figurando o YouTube Rewind 2018 em primeiro lugar na categoria "kids". Os canais oficiais na plataforma de vídeos em português possuem mais de 16 milhões de inscritos, consolidando-a como “artista” mais famosa no universo infantil para os brasileiros.

Além disso, o ano também foi de expansão da personagem para canais off-line, aumentando a interação dela com os seus pequenos fãs. Somente em 2018, a Galinha esteve presente em oito eventos temáticos diferentes, circulando em shopping centers do país e também nos shows ao vivo, que passaram em várias cidades do Brasil, como a turnê “A Fabulosa Trupe da Galinha Pintadinha”, uma fantástica experiência que mescla iluminação, tecnologia e lindos bonecos dos personagens em uma aventura inédita, além das músicas de sucesso da marca.

A estratégia da Galinha Pintadinha tem dado frutos, principalmente se levarmos em consideração a mudança no perfil de consumo de entretenimento ao longo destes 12 anos. Em 2006, os vídeos online estavam só começando e cresceram exponencialmente nos últimos anos, permitindo que novas e antigas telas coexistam para impactar o público.

Seguindo este perfil multitelas, a Galinha Pintadinha aproveitou o ano para fechar parceria com a TV Cultura para transmissão de seu conteúdo na TV aberta e com o canal Nat Geo Kids para a TV fechada, além de estar presente em 15 serviços de streamings diferentes e seu próprio App com todas suas animações.

Outra importante ação foi a criação do "Falando com a Galinha Pintadinha" para o Google Assistente, um assistente pessoal virtual que, através de um comando de voz, pode realizar várias tarefas do dia-a-dia como fazer ligações, mandar mensagens, etc. Agora, basta chamar "Falar com a Galinha Pintadinha" e a criança pode ouvir as músicas, brincar e falar diretamente com a Galinha.

“O modo de consumir vídeos está mudando rapidamente com o avanço das tecnologias e são as crianças as principais impulsionadoras deste novo comportamento. As pessoas querem acessar seu conteúdo preferido na hora e no local que desejarem", conclui Miguel Moreira, gerente da Bromélia Produções.