São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Home
February 3, 2017 - 06:00

EDITORIAL: Reforma no Paço - 03/02

Proposta de Felicio prevê o corte de R$ 6 milhões com a extinção de cargos

Arrumar a casa. Enxugar gastos. O projeto de reforma administrativa protocolado nesta quinta-feira peloprefeito Felicio Ramuth (PSDB) na Câmara Municipal prevê corte de R$ 50 milhões, com o enxugamento da estrutura do Poder Executivo, que passou de 23 para 14 secretarias. A proposta prevê a extinção de 45 cargos comissionados e mais 47 cargos terão mudança de nomenclatura e redução salarial.

Com essas medidas específicas, de acordo com os cálculos da prefeitura, haverá uma economia de R$ 6 milhões. Ao entregar o texto pessoalmente, o prefeito sinalizou a importância que dá ao projeto e também à parceria com o Legislativo -- onde o tucano tem a imensa maioria. Felicio entregou o projeto ao correligionário Juvenil Silvério (PSDB), presidente da Casa, e conversou com os vereadores.

De acordo com ele, o governo de Carlinhos Almeida (PT) deixou uma herança nefasta nos cofres públicos, uma cratera de aproximadamente R$ 306 milhões, e milhares de contas e contratos atrasados. “Neste momento que vive o país, precisamos dar respostas rápidas à população em relação aos serviços. Esse projeto de reforma administrativa contempla isso”, disse o tucano ontem, durante a sessão.

O enxugamento da máquina pública, tradicionalmente dispendiosa e ineficaz, é uma necessidade em São José e no país. São numerososos exemplos em solo brasileiro, tão desgastado pelos terríveis efeitos da má política, de aliados que vivem de um cargo aqui, uma indicação ali.
Um grande cabide.

Essa proposta de reforma administrativa é urgente -- apesar do tucano ainda precisar explicar indicações como a de Maria Emília Cardoso, jornalista que foi secretária de Turismo de Carlinhos e foi nomeada assessora administrativa na Secretaria de Obras donovogoverno.Ela éligadaaoex-deputado Alexandreda Farmácia(PTB).

É importante arrumar a casa e é preciso até reformar a estrutura. Em meio a essa faxina, é hora de jogar o cabide fora.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade  
Publicidade
Publicidade

Brasil

Mundo