São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Home
February 10, 2017 - 06:00

EDITORIAL: Pele de cordeiro - 10/02

Era uma vez um reino muito distante, onde velhos lobos em pele de cordeiro comandavam o destino de milhões de pessoas. Para aquela alcatéia, o mais importante era perpetuar-se no trono ou pelo menos no entorno do palácio, localizado em uma região de planalto.

Lá, naqueles nababescos aposentos, podiam se empanturrar com o banquete delicioso, regado ao melhor vinho. Tudo pago pela plebe, que parecia adormecida e resignada, com fome e sede, distante daquele mundo encastelado. Enquanto os lobos uivavam, todos virados para a Lua, a panela do povo estava vazia.

Ao longe, era possível ouvir o coro uivante daquela alcatéia de (nada) nobres: ‘eu sou o lobo mau, lobo mau, lobo mau, lobo mau, eu pego as criancinhas para fazer mingau!’, cantavam em uníssono virados para a Lua. ‘Hoje estou contente, vai haver festança. Tenho um bom petisco para encher a minha pança’, dizia a cantiga.

Personagem criado séculos atrás, presente em histórias dos Irmãos Grimm e inúmeras fábulas folclóricas, o Lobo Mau poderia facilmente ter sido pinçado do cotidiano político brasileiro. A vida imita a arte.

Em meio a esse ‘apagão’ ético e moral que atinge o seio da democracia brasileira, nós vemos diariamente vilanias absurdas sendo praticadas por esta alcatéia de lobos em pele de cordeiro. Há algumas histórias em que o protagonismo recai sobre o Lobão. Esta semana, por exemplo, com o apoio decisivo de velhas raposasda nossa política, como ossenadores peemedebistas Renan Calheiros (aquele) e José Sarney, o senador Edison Lobão (PMDB-MA), investigado na Lava Jato comoseus correligionários,foinomeado presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Casa.

A comissão tem, entre outros, o dever de sabatinar Alexandre de Moraes, indicado por Michel Temer (também citado) para o STF (Supremo Tribunal Federal), onde vai ocuparo posto de revisor da Lava Jato. Deve ser coincidência. Ou mais uma história para boi dormir.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade  
Publicidade
Publicidade

Brasil

Mundo