Logo Jornal OVALE

Projeto de Taubaté resgata a história do choro e inicia shows gratuitos na região

Da redaçã[email protected] | @jornalovale

O legado de compositores da velha guarda do choro de Taubaté acaba de ganhar registro inédito em CD com 12 faixas. Trata-se de uma iniciativa do projeto cultural "Viva do Choro", do Clube do Choro Waldir Azevedo.

O projeto, fruto de uma pesquisa realizada pelo músico Rogério Guarapiran, fundador do grupo, conta ainda com seis shows gratuitos que serão realizados na região.

O primeiro deles ocorre nesta quarta-feira (13), em São José, às 20h, no Museu Municipal (pça. Afonso Pena, 29). Sobre o palco, o grupo taubateano dividirá os microfones com os joseenses do Conversa Afiada. Juntos eles apresentarão clássicos do choro e chorinhos autorais compostos pelo músico Marcos - conhecido como Marquinhos Sun - em homenagem a músicos da cidade.

A apresentação conta ainda com participações especiais de João Silva (bandolim) e Júlio César Batista (violão).

No dia 30, será a vez de Jacareí receber o espetáculo, às 16h30, na Sala Mário Lago. O

convidado é o grupo Chorinho na Rede. Em abril, o show circula pelas cidades de Guaratinguetá e São Luiz do Paraitinga; em maio será a vez de Pindamonhangaba e Taubaté.

Cavaquinho e pandeiro.

O álbum que acaba de ser lançado é instrumental e preenche uma lacuna histórica ao resgatar, valorizar e difundir obras de autores regionais que atuam desde a década de 1960 na música.

"Há uma mobilização de resgate do choro que vem se alastrando pelo país, então resolvemos aderir. Começamos a pesquisa em 2014 e, no meio do caminho, surgiu a ideia de fazermos um CD como homenagem para os diversos grupos que encontramos", contou em nota Guarapiran.

"Acreditamos que esse registro é de grande relevância cultural para a valorização, difusão, preservação e o resgate de obras artísticas de autores regionais", continuou.

Entre os compositores presentes no disco estão os septuagenários Humberto dos Santos, Guido Malheiro e Benedito Barbosa da Cruz; e músicos já falecidos, como João Fernandes-Peixinho e Renato da Silva.

Chorões experientes, como o Maestro Roberto Vinagre e Nico Ferreira também cederam algumas canções. E, completando o projeto, Claudio Rogerio Ferreira, Rogério Guarapiran e João Oliveira, que compuseram um frevo especialmente para o projeto; e o flautista fluminense Antônio Rocha, que fez um choro dedicado à Taubaté.

O projeto "Viva o Choro de Taubaté" foi contemplado em 2018 pelo ProAC, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo..