Logo Jornal OVALE

Linhas de ônibus em São José viram bibliotecas itinerantes

Paula Maria Prado @paulamariaprado | @paulamariaprado

Como uma forma de incentivar a leitura, ônibus da empresa Expresso Maringá, responsável por parte do transporte coletivo de São José dos Campos, adotou uma verdadeira biblioteca móvel montada dentro de veículos de algumas de suas linhas.

O projeto, batizado de "Cultura no ônibus", resgata uma iniciativa homônima ocorrida em 2017 também na empresa. Atualmente, seis ônibus em linhas rotativas já contam com as estantes feitas em pano cada uma com nove livros disponíveis.

São: 305 (São Judas), 308 (Bosque), 310 (Residencial União), 330 (Campo dos Alemães), 209 (Jardim Uirá) e 315 (Interlagos). A meta é, até o final do ano, ampliar a biblioteca para mais 15 carros.

cultura.

Os livros podem ser lidos durante o percurso ou mesmo levados para casa pelos passageiros.

"Nós queremos despertar o interesse da população, que não tem tanto costume de ler", disse em nota o diretor da empresa, Marcos Lacerda.

Ainda segundo ele, os livros ajudam a tornar a viagem mais agradável e produtiva.

As estantes ficam instaladas próximas ao cobrador de cada ônibus. Ele é responsável por anotar o número do livro que foi retirado pelo passageiro e, demais movimentações, por exemplo, caso haja alguma devolução ou a doação de um novo título.

Entre as obras já disponíveis estão clássicos, como "Pequeno Príncipe", de Saint-Exupéry; "Arte da Guerra", de Sun Tzu; e "Dom Casmurro", de Machado de Assis. Há ainda revistinhas da "Turma da Mônica", de Mauricio de Souza.

"Num primeiro momento, efetuamos a compra de exemplares em sebos. Depois, por meio de parcerias, passamos a receber doações. E, todo passageiro pode contribuir com essa corrente", afirmou Ariane Cristine da Silva, auxiliar de escritório da Expresso Maringá, também responsável pelo projeto junto do gerente administrativo Nivaldo Giuseppin.

Todos os livros e revistas são catalogados na sede da empresa e recebem a etiqueta "venda proibida". "Temos hoje cerca de 4.000 livros em acervo. Mas ainda é pouco diante da quantidade de gente que atendemos nas linhas", disse Ariane.

Para emprestar o livro não é preciso fazer cadastro, mas o projeto conta com a boa vontade das pessoas em ler a obra e devolvê-la posteriormente para que outros passageiros também possam ter acesso a ela.

Doações.

O projeto, que é permanente, deve receber a primeira ampliação já em abril.

Quem quiser fazer doações de obras literárias pode entregar os exemplares na garagem da empresa de ônibus, localizada na av. George Eastman, 1.481, no Residencial 31 de março, em São José; no Terminal Central (Rodoviária Velha) no guichê da Expresso Maringá; ou mesmo embarcar em um dos ônibus inclusos na ação e colocar o livro no suporte para que outras pessoas tenham acesso a ele..