Logo Jornal OVALE

Maestro João Carlos Martins estreia em Taubaté projeto 'Orquestrando o Brasil'

Paula Maria Prado @paulamariaprado | @paulamariaprado

"Nenhum músico sobe ao palco só para 'cumprir tabela'. O objetivo é fazer com que aquilo que está em seu coração chegue ao coração do outro por meio do som".

Esse é o segredo, segundo o maestro João Carlos Martins, para que tantas pessoas, por desconhecimento, em um primeiro momento torcem o nariz para a música erudita e, no segundo, se encontram absolutamente arrebatadas e apaixonadas.

Aliás, fazer com que todo o país vibre nessa mesma afinação é a nova missão de Martins, criador de um ambicioso projeto: "Orquestrando o Brasil", plataforma digital que visa disseminar conteúdos, oferecer capacitação para regentes e músicos, além de ser uma ferramenta para a troca de conhecimento.

Mais: com cerca de 200 orquestras participantes, o foco é que em três ou quatro anos haja 1.000 delas. "Esse projeto começou com Heitor Villa-Lobos em 1940. Ele, já naquela época queria unir o país em um só coração. No entanto, não havia as facilidades de hoje, como TV e internet. Então, em 2018, resolvi usar a minha exposição na mídia para viabilizar o projeto", afirmou o maestro.

Martins tem entrado em contado com maestros de todos os cantos do país, principalmente aqueles que estão distante dos grandes centros culturais. "Várias cidades tem banda, daquelas que tocam no coreto. E muitas igrejas evangélicas têm orquestra de corda. Então estamos indo, aos poucos, atrás deles", disse.

E por quê tudo isso? "Queremos oferecer 200 concertos por ano em todo o país (formação de público) e, com isso, atrair a atenção da comunidade internacional", continuou.

Taubaté foi a cidade escolhida para receber a primeira das apresentações do projeto. "Gosto muito do Vale do Paraíba. Foi uma região que me acolheu muito bem na minha época de pianista", revelou o maestro, que passou por série de dificuldades para tocar piano após se machucar gravemente em uma partida de futebol e devido a uma pancada durante um assalto, que rompeu a ligação entre seu cérebro e a mão direita.

"Fiz a cirurgia na mão direita e só posso usar o polegar e o indicador. Na mão esquerda, esses três dedos são totalmente fechados, mas a dor foi tão grande, que finalmente acertamos com os médicos de cortar o nervo. Assim, eu me despeço", contou há duas semanas, no programa "Fantástico" (Globo).

Sonoridade.

O concerto que ocorre nesta sexta-feira ( 8) contará com a presença da Orquestra Sinfônica Jovem de Taubaté, Banda Musical Senai Taubaté, Banda de Concerto Ema Fêgo Camargo, Ópera Studio do Vale, Camerata Orfeo, Coral da Acvap, Coro Contraponto e Coral Juvenil Meninas Cantoras de Campos de Jordão.

"Conheço cada um dos regentes e eles têm uma competência muito grande", disse Martins, que estará a frente do espetáculo como um todo. Essa é primeira vez que estes grupos se reunirão para uma apresentação conjunta.

O Concerto Especial do Orquestrando o Brasil com João Carlos Martins ocorre às 20h, no teatro do Sedes (av. Dr. Benedito Elías de Souza, 705, Jardim Jaraguá). Entrada franca..