Logo Jornal OVALE

Retomada da obra da Arena de São José tem 23 empresas interessadas

Governo Felicio inicia trâmites do processo licitatório e começa com credenciamento das empresas; próximo passo é habilitá-las para que cada uma faça sua proposta, e previsão inicial é que obra custe R$ 54 milhões

Caíque [email protected] | @caiquetoledo

Vinte e três empresas se mostraram interessadas no processo da conclusão das obras da Arena de Esportes de São José dos Campos, que tem custo previsto de R$ 54 milhões.

O governo Felicio Ramuth (PSDB) realizou nesta quinta-feira a fase inicial de credenciamento das empresas. Após cinco dias úteis e mais um possível prazo para recursos, uma comissão montada para a licitação vai definir quais delas estão devidamente habilitadas para apresentar as propostas financeiras e concorrer à escolha.

Com a construção abandonada desde 2013, a Arena tem previsão de conclusão de até 18 meses a partir da ordem de emissão de serviço. O governo tucano já disse que pretende concluí-la em 2020 -- ano eleitoral.

São 10.700 metros quadrados, com capacidade para 5 mil pessoas, com a prefeitura pretendendo usar o espaço para categorias de base do Atleta Cidadão e esportes de alto rendimento, como basquete, futsal, vôlei e handebol. Toda estrutura atual poderá ser aproveitada.

A retomada das obras da Arena foi uma promessa de campanha de Felicio que, inicialmente, planejou buscar financiamento e programas estaduais e federais para conclusão da construção no Jardim das Indústrias, zona oeste da cidade.

O Poder Executivo, no entanto, irá utilizar recursos próprios para as obras.

Obra começou ainda na gestão Cury e foi paralisada por Carlinhos em 2013

Se fosse seguido o prazo inicial, a Arena deveria ter completado seis anos em outubro do ano passado. O complexo começou a ser construído ainda na gestão Eduardo Cury (PSDB), em 2011, e deveria ter sido concluído em 2012, mas atrasou e foi interrompido pelo governo Carlinhos Almeida (PT) em maio de 2013, alegando irregularidades.