Logo Jornal OVALE

Trabalhadores entram em greve na JC Hitachi por PLR de R$ 9 mil

Valor é considerado abusivo pela empresa, que alegou que reajuste pedido "inviabiliza a operação em São José", incluindo "novos investimentos" e "permanência na cidade"; sindicato e empresa têm negociação dia 18

Xandu Alves @xandualves10 | @xandualves10

Trabalhadores da JC Hitachi cruzaram os braços na fábrica de São José dos Campos em protesto contra o valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) proposto pela empresa, além da recusa em adotar vale-alimentação.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José, a greve foi deflagrada na última quarta-feira com duração prevista para 24 horas, terminando nesta sexta-feira. A produção foi paralisada.

Ainda segundo o sindicato, os trabalhadores reivindicam PLR de R$ 9.100, estabilidade no emprego e vale-alimentação no valor de R$ 180.

A empresa ofereceu R$ 6.600 de PLR e disse que o valor pedido pelo sindicato "inviabiliza a operação em São José" (leia texto nesta página).

O valor da PLR é pago em duas parcelas.

Segundo o sindicato, o valor da empresa foi rejeitado em assembleia e um aviso de greve foi aprovado na sexta-feira da semana passada.

PRESSÃO.

Às 7h30 desta sexta, os trabalhadores se reunirão numa assembleia para decidir os próximos passos do movimento. Nova paralisação não está descartada.

A JC Hitachi produz ar-condicionado em São José e emprega mais de 300 funcionários.

"A empresa vive um momento de ótima saúde financeira e não tem por que se recusar a atender as reivindicações. A adesão de todos os setores mostra o nível de insatisfação dos trabalhadores. Mostra também que há disposição de luta na fábrica", disse Weller Gonçalves, presidente do sindicato.

Em abril do ano passado, os trabalhadores da empresa também entraram em greve por causa do valor da PLR. Na ocasião, os empregados queriam R$ 7,7 mil e, após a paralisação, a empresa ofereceu R$ 6.250, 25% acima do que havia apresentado anteriormente.

'Valor pedido pelo sindicato inviabiliza a operação em São José', diz a empresa

Em nota, a Johnson Controls-Hitachi Ar Condicionado mostrou-se surpresa com a paralisação. Afirmou que está marcada uma reunião com o Sindicado dos Metalúrgicos, no próximo dia 18, na Delegacia Regional do Trabalho, e que está "aberta ao diálogo". Além disso, executivos da empresa reuniram-se nesta quinta-feira com integrantes da Prefeitura de São José e do Ciesp. Segundo a empresa, eles "manifestaram forte preocupação com perdas de empregos e retração de novos investimentos na região". E completou: "O valor proposto de PLR (R$ 6.600) é 6,5% acima do valor pago no ano anterior. Além do reajuste acima da inflação, a empresa ofereceu 50% de antecipação do abono salarial. O valor pedido pelo sindicato (49,2% de aumento) inviabiliza a operação da empresa em São José, até mesmo a sua permanência na cidade".