Logo Jornal OVALE

Cesta básica fica R$ 98 mais cara no Vale em um ano, afirma Nupes

Em fevereiro deste ano, preço médio da cesta básica no Vale foi de R$ 1.623,78, alta de 1,45% ante janeiro; Nupes registrou terceiro mês consecutivo com alta no valor da cesta; vilões do aumento foram feijão, batata e alface

Xandu Alves @xandualves10 | @xandualves10

A cesta básica aumentou R$ 98,13 em um ano na RMVale, o que corresponde a 6,43% de alta no período. O preço médio da cesta saltou de R$ 1.525,65 em fevereiro do ano passado para R$ 1.623,78, em igual período deste ano.

A pesquisa foi divulgada pelo Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais), órgão da Unitau (Universidade de Taubaté).

Fevereiro registrou o terceiro mês com alta na cesta na região, com 1,45%. O preço médio já havia subido 1,75% em janeiro, acumulando 3,19% de alta no bimestre --subiu 1,55% em dezembro.

No ano passado, no primeiro bimestre, o valor da cesta acumulava pequena alta de 0,54%, com 1,12% em janeiro e -0,58% em fevereiro.

De acordo com o Nupes, o preço médio da cesta com 44 produtos, sendo 32 de alimentação, sete de limpeza e cinco de higiene pessoal, passou de R$ 1.600,64 em janeiro para R$ 1.623,78 em fevereiro deste ano.

"Em todas as cidades pesquisadas ocorreram aumento nos preços da cesta, não se verificando grande diferença entre elas", informou o Nupes.

Os produtos que mais contribuíram para a alta no valor da cesta básica na região foram feijão (55,82%), batata (19,49%) e alface (16,17%), em razão de menor oferta e aumento das chuvas.

Feijão e batata subiram pelo segundo mês consecutivo. O feijão ainda acumula alta de 114,45% desde novembro.

Campos do Jordão tem a cesta básica mais cara da região, aponta a pesquisa

Em fevereiro, a cesta mais barata da região é a de Caçapava (R$ 1.597,49) e a mais cara a de Campos do Jordão (R$ 1.637,25). São José (R$ 1.631,27) e Taubaté (R$ 1629,12) têm preço médio intermediário. A diferença entre o menor e maior preço foi de 2,49% em fevereiro, maior do que a registrada em janeiro, de 1,76%, segundo o Nupes.