Logo Jornal OVALE

'Fluxos do funk' driblam reforço de fiscalização do poder público em São José

Governo Felicio intensifica trabalho de combate aos chamados Fluxos e aponta para diminuição no número de casos, mas admite que ainda há dificuldade no atendimento pela cidade; festas são regadas a álcool e drogas

Da redaçã[email protected] | @jornalovale

Os 'fluxos do funk' seguem driblando o poder público e tirando sono de moradores em São José dos Campos, apesar do aumento no número de fiscalizações por parte da prefeitura.

O governo Felicio Ramuth (PSDB) intensificou as operações da 'Patrulha do Sossego Público', equipes formadas por agentes da Guarda Civil Municipal, Secretaria de Mobilidade Urbana, Polícia Militar e DPFM (Departamento de Fiscalização e Posturas Municipais), mas admite que ainda há dificuldades no atendimento.

Neste final de semana, por exemplo, a prefeitura divulgou balanço e afirmou que houve "sucesso na operação", mas que ocorrências de perturbações de sossego nos bairros Jardim São José 1 e Paraíso do Sol, na zona leste, tiveram dificuldades "devido a outros locais sendo fiscalizados", diz a nota.

ATUAÇÃO.

Segundo o governo, nos últimos dias foi constatado apenas um início de perturbação de sossego, em Santana, e que houve autuações por som alto na Anchieta, Aquarius, Galo Branco e Urbanova, mas sem tentativa de formação de fluxos do funk.

O Poder Executivo também aponta que houve uma concentração de cerca de 400 pessoas na avenida Anchieta, tradicional palco de organização de Fluxos, mas que dessa vez não foi caracterizada perturbação de sossego. "Os locais com fluxos de funk estão diminuindo sensivelmente", aponta o governo.

Foram feitas 53 autuações por som alto em veículo e estacionamento irregular, sendo 30 na avenida Anchieta, 11 em Santana, 8 no distrito de São Francisco Xavier, 2 no Jardim Aquarius e 1 no Urbanova e 1 no Galo Branco. Nos últimos três finais de semana foram, no total, 112 multas.

Governo diz que há planejamento e que atendimento depende de disponibilidade

Nas redes sociais, moradores reclamaram da formação de um Fluxo do Funk no bairro do Novo Horizonte, na noite do último sábado. Segundo a GCM, no entanto, não houve reclamação registrada no local.

Sobre a dificuldade no atendimento em algumas áreas, o governo Felicio informou que os números de efetivo são estratégicos, e que "as operações são planejadas na semana que antecede a realização dos eventos denunciados e as reclamações que chegam durante o final de semana são atendidas de acordo com a disponibilidade de viaturas", em nota.

"Semanalmente, a Patrulha obedece a um planejamento de ações com base no levantamento de informações sobre fluxos programados e anunciados nas redes sociais, assim como em função das reclamações de moradores", diz o governo.