Logo Jornal OVALE

Motoristas receberam R$ 105 mil em diárias em 2 anos na Câmara de Taubaté

Montante representa uma média de R$ 5 mil para cada um dos servidores do Legislativo; no entanto, um dos motoristas chegou a receber R$ 14.759,36 em diárias em 2017 e 2018, por 80 viagens realizadas nesses dois anos

Julio [email protected] |

Os 21 motoristas da Câmara de Taubaté receberam nos primeiros dois anos dessa legislatura, em 2017 e 2018, um total de R$ 105 mil em diárias de viagens, o que representa uma média de R$ 5 mil para cada um. O levantamento foi feito pela reportagem com base nos dados publicados no Portal da Transparência do Legislativo.

O montante representa 37% dos gastos que a Casa teve com viagens nesse período, somando diárias pagas a motoristas e demais servidores e ressarcimento de despesas de vereadores.

Ao todo, os gastos somaram R$ 277 mil, sendo R$ 23 mil dos parlamentares e R$ 149 mil de servidores do administrativo e assessores de gabinete. Nesse período, um único motorista chegou a receber R$ 14.759,36 em diárias, após ter feito 64 viagens em 2017 e 16 viagens em 2018.

TRANSFERÊNCIA.

Em janeiro desse ano, alegando ter havido redução na demanda de viagens na Câmara, o novo presidente da Casa, Boanerge dos Santos (PTB), anunciou que irá transferir 13 motoristas para a prefeitura.

Os dados do Portal da Transparência confirmam a redução no número de deslocamentos, ocorrida após o jornal revelar, em julho de 2018, o caso da 'Farra das Viagens', que envolve 14 parlamentares, sendo 13 vereadores e um suplente.

Em 2017, os motoristas receberam um total de R$ 70,9 mil, por 386 viagens (a diária, naquele ano, era de R$ 183,82). Em 2018, foram R$ 34,2 mil, por 183 viagens (a diária era de R$ 187,18). No ano passado, a maior parte das viagens ocorreu no primeiro semestre, antes de o escândalo ser revelado pelo jornal.

A Câmara ainda não definiu quais dos 21 motoristas serão transferidos à prefeitura. No novo local de trabalho, as regras para o recebimento das diárias são diferentes. No Legislativo, a diária é paga para os deslocamentos com duração mínima de seis horas. Em 2019, a diária na Casa foi para R$ 194,67.

Na prefeitura, o valor não é reajustado desde 2014: a diária simples, de R$ 50, é paga para viagens com duração de oito a 12 horas, sem pernoite; a diária completa, de R$ 100, é paga para deslocamentos por tempo superior a 12 horas, que exijam pernoite.

REAÇÃO.

Um grupo de 17 motoristas da Câmara ajuizou essa semana uma ação para pedir que Boanerge seja condenado a pagar indenização por danos morais a eles, no valor de um salário mínimo para cada.

Com a mesma alegação - de que o presidente da Casa denegriu a honra do grupo -, o escritório de advocacia que representa os servidores protocolou na semana passada um pedido de cassação do mandato do petebista..