Logo Jornal OVALE

Vale tem mais mortes do que soma das regiões que terão novos Baeps

Depois de prometer abrir primeiro Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) da sua gestão em Taubaté, o governador João Doria anuncia quatro unidades do batalhão, nenhuma delas no Vale, capital da violência

Xandu [email protected] | @xandualves10

O governo João Doria (PSDB) vai implantar duas unidades do Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) em regiões cuja soma da taxa de vítimas de homicídio por 100 mil habitantes não alcança a da RMVale.

Mesmo sendo a "capital da violência" em São Paulo e tendo sido definida como "prioridade" durante a campanha do tucano para o governo, o Vale ficou de fora da criação de quatro Baeps.

Quebrando sua promessa, Doria decidiu abrir os primeiros quatro batalhões na capital, em São Bernardo do Campo, Presidente Prudente e São José do Rio Preto.

Com 1,2 milhões de habitantes, São José do Rio Preto terminou 2018 com 94 vítimas de homicídio doloso, segundo dados da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública). A taxa de vítimas de homicídio por 100 mil habitantes é 6,20. Presidente Prudente teve 59 mortos para seus 978,4 mil moradores, o que lhe deu uma taxa de 5,31.

Nem somadas (11,51) as taxas são maiores do que a da RMVale, de 13,82 vítimas de homicídio por 100 mil habitantes em 2018, com 338 pessoas assassinadas.

Na campanha, em sabatina realizada em São José, Doria prometeu um Baep na região: "Nós teremos mais 17 Baeps no estado e o primeiro será em Taubaté". Na semana passada, voltou atrás: "Estamos estudando [implantar em Taubaté] porque já temos um Baep em São José", declarou.

SSP diz que "há estudo para definir a abertura de Baep", mas não fala do Vale

Por meio de nota, a SSP informou que o "Governo de São Paulo está trabalhando para ampliar a instalação de Batalhões de Ações Especiais de Polícia (BAEPs) em todo o Estado". E disse mais: "Há estudos em andamento para definir o cronograma. O combate à criminalidade e o reforço no policiamento são compromissos da atual gestão".