Logo Jornal OVALE

A promessa era 'fake'

Doria demorou 39 dias para descumprir promessa de que Taubaté receberia o primeiro Baep de seu governo

Trinta e nove dias. Este foi o tempo que demorou para cair por terra a promessa feita por João Doria (PSDB) durante sua campanha a governador. Ele, que prometeu transformar o Vale do Paraíba em sua prioridade no combate ao crime, afirmou mais de uma vez, em entrevistas para OVALE e também outros veículos, que Taubaté seria a sede do primeiro dos 17 novos Baeps (Batalhões de Ações Especiais da Polícia) que seu governo criaria.

Nesta sexta-feira, a promessa caiu por terra. Por mais que o governo reafirme o compromisso de erguer um novo batalhão na região, justamente em Taubaté, ele não será o primeiro. Nem o segundo, nem o terceiro, nem o quarto... O tucano anunciou que até abril estarão funcionando quatro Baeps, em diferentes cidades: capital, São Bernardo, Presidente Prudente e São José do Rio Preto. Taubaté? Nada.

Aliás, o governo garante a instalação do batalhão por aqui, mas que o cronograma seguirá "critérios técnicos". Ou seja, sem prazo. Ou seja: promessa descumprida.

Doria, que veio ao Vale muitas vezes e tratou a região como estratégica durante a campanha, disse, mais de uma vez e olho no olho de nossos repórteres, que o Vale seria sua prioridade no combate ao crime. Também, pudera: trata-se da região mais violenta do Estado, encerrando 2018 com 364 mortes violentas e uma taxa de homicídios que, proporcionalmente, supera até a da capital. Por aqui, a violência já virou endêmica.

Em algum momento, o governador pode até argumentar que a região já possui um Baep e que outras áreas do Estado ainda não. É um ponto, mas não importa. Promessa é promessa e, ao descumpri-la, Doria dá razão aos críticos que tanto falaram após o tucano prometer que não deixaria a prefeitura de São Paulo para disputar o governo. Mas aí é outra história.

Voltando a falar de Segurança, a RMVale foi negligenciada nessa área nos últimos governos. Ano após ano, vemos os índices criminais subirem enquanto os governos fazem estardalhaço e comemoram quedas por todo o estado. A região foi tratada como uma qualquer mesmo quando o governador era Geraldo Alckmin (PSDB), nascido por aqui.

Mais do que uma questão de bom senso, é um verdadeiro pedido de socorro. O Vale clama por segurança e por justiça. E Doria não está ajudando..