Logo Jornal OVALE

Contra 'farra', Boanerge reduz veículos e motoristas em 60% na Câmara de Taubaté

Carro da Câmara de Taubaté
Legislativo tinha 21 motoristas e 20 veículos, mas ficará com apenas oito desses servidores e oito carros, transferindo o restante para a prefeitura; com medida, Câmara espera economizar até R$ 1,072 milhão por ano

Julio Codazz[email protected] |

O novo presidente da Câmara de Taubaté, Boanerge dos Santos (PTB), decidiu reduzir em 60% a frota de veículos do Legislativo e o quadro de motoristas da Casa.

A medida, tomada nessa primeira semana de expediente em 2019, é uma resposta ao escândalo da 'Farra das Viagens', divulgado pelo jornal em julho de 2018 e que envolveu 14 parlamentares, sendo 13 vereadores e um suplente, que inflavam gastos nas notas fiscais para engordar o valor que receberiam como ressarcimento - Boanerge não está na lista de citados.

De acordo com o petebista, o número de viagens oficiais caiu drasticamente desde que o caso foi revelado. Por isso, não fazia mais sentido manter uma frota com 20 veículos e os 21 motoristas.

"Encontrei um quadro não de ilegalidade, mas de imoralidade. Você ter 20 pessoas [motoristas], um dando trombada no outro, sem ter uma função", disse Boanerge. "Há seis, sete meses, não existe mais viagem na Câmara. Perdeu o objeto de o motorista estar aqui".

ECONOMIA.

Essa semana a Câmara oficializou a transferência de 13 motoristas e 12 veículos para a prefeitura.

Na frota transferida há nove carros Ford Fiesta Sedan 1.6, de 2012, e três veículos Logan, sendo dois de 2014 e um de 2015. Todos avaliados como tendo bom estado de conservação.

Os motoristas que serão transferidos ainda não foram definidos. Como o piso da prefeitura (R$ 1.458,83) é menor do que o da Câmara (R$ 3.575,44), a diferença salarial de cada servidor será subsidiada pelo Legislativo.

Antes, cada gabinete de vereador contava com um carro e um motorista à disposição, e o restante da estrutura era de uso dos setores administrativos. Agora, cada carro e cada motorista servirão a dois gabinetes, já que três parlamentares - além de Boanerge, a lista também tem Guará Filho (PR) e Loreny (PPS) -- não usam a estrutura da Câmara para viajar. Quando o setor administrativo precisar, terá prioridade no uso dos veículos e motoristas.

Com menos gastos com salário, combustível, manutenção de veículos e investimentos que seriam feitos com renovação de frota, o Legislativo prevê economizar R$ 1,072 milhão por ano.

RESISTÊNCIA.

A decisão de reduzir a frota e o número de motoristas foi comunicada essa semana por Boanerge aos demais vereadores. "Aqueles que eu consegui falar, porque tem uns que não querem nem olhar na minha cara", disse o novo presidente, que relatou ter enfrentado resistência de colegas.

Inicialmente, o petebista queria manter apenas três veículos e três motoristas. Aceitou o número de oito, por enquanto, a pedido de outros vereadores. Mas disse que, posteriormente, irá insistir na redução para três.

"Vou sofrer aqui dentro com meus pares, que vão achar que estou prejudicando eles. Pelo contrário, estou preservando o mandato deles. Se você tem aquela ferramenta, vai acabar usando. Se não sabe usar a ferramenta, não usa. Tem que ter responsabilidade", afirmou Boanerge.

Novo presidente rescinde contrato de aluguel de imóvel usado como garagem

Além de cortar em 60% a frota de veículos e o quadro de motoristas da Câmara, o novo presidente da Casa determinou a rescisão do contrato de aluguel de um imóvel que era usado desde 2012 como garagem para os carros do Legislativo.

Firmado com dispensa de licitação, o contrato havia sido prorrogado no fim de dezembro por mais 12 meses, em um dos últimos atos do presidente anterior, Diego Fonseca (PSDB).

O custo, de janeiro a dezembro de 2019, seria de R$ 59,6 mil. Agora, em acordo com a prefeitura, os carros da Câmara usarão o estacionamento da Secretaria de Obras, sem despesa para o Legislativo. "Lá tem vigilância 24h. Eu vou pagar [por outro imóvel]? Está de sacanagem", disse Boanerge.