Logo Jornal OVALE

Embraer e SkyWest firmam contrato de US$ 422 milhões para nove jatos E175

SkyWest é uma companhia aérea regional e controladora da SkyWest Airlines; a companhia tem uma relação histórica com a Embraer, tendo sido um dos primeiros clientes a operar o turboélice EMB 120 Brasília no mundo

Da redação @jornalovale | @jornalovale

A Embraer e a empresa norte-americana SkyWest assinaram um contrato de US$ 422 milhões (com base nos atuais preços de lista) para um pedido firme de nove jatos E175. As entregas devem começar em 2019. O negócio entrará na carteira de pedidos firmes da Embraer no quarto trimestre de 2018.

A SkyWest Airlines operará todos os nove E175, configurados com 76 assentos. A empresa oferece serviços aéreos comerciais em cidades da América do Norte com mais de 2.500 voos diários, transportando aproximadamente 50 milhões de passageiros por ano.

"Desde 2013, a SkyWest encomendou um total de 158 jatos E175, incluindo essas nove unidades, com objetivo de ampliar continuamente sua grande frota de aeronaves Embraer", disse Charlie Hillis, diretor de Vendas e Marketing para América do Norte da Embraer Aviação Comercial.

"Estamos extremamente orgulhosos com o apoio contínuo da SkyWest ao programa E-Jets e com o fato de o E175 apresentar um desempenho superior na América do Norte. Sem dúvida, o E175 se tornou a referência do mercado de aviação regional nos Estados Unidos", completou.

Para o CEO e presidente da SkyWest, Chip Childs, a aeronave da fabricante brasileira se destaca. "Estamos satisfeitos em continuar adicionando novas aeronaves E175 com contrato de longo prazo à nossa frota cada vez mais eficiente, ágil e flexível. Reconhecemos a forte parceria com a Embraer e continuamos impressionados com o produto da Embraer".

Com este novo contrato, segundo a Embraer, a empresa acumula a venda de 565 jatos E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, com 80% de todos os pedidos neste segmento.

Banco do Brasil avalia como positiva venda do controle da aviação comercial

O Banco do Brasil Investimentos divulgou uma análise ao mercado, na última quinta-feira, sobre a operação entre a Embraer e a Boeing, que irá comprar o controle da aviação comercial da fabricante brasileira.

Para a equipe do banco estatal, há otimismo em relação à companhia brasileira, que poderá conduzir sua estratégia de longo prazo nos setores que não fazem parte do negócio, como aviação executiva e Defesa e Segurança.

Os analistas também consideraram que a Embraer pode aproveitar a expertise da administração de um dos maiores produtores de aeronaves do mundo. A transação entre as duas empresas deve ser concluída até o final de 2019. Após a conclusão do negócio, a "nova" Embraer receberá US$ 3 bilhões, com US$ 400 milhões para cobrir passivos operacionais.