Logo Jornal OVALE

Casos de dengue têm queda de 50% na RMVale no ano

Alerta. Equipes vistoriam imóveis para combate ao Aedes Aegypti
Casos da doença em quatro cidades do Vale do Paraíba caíram de 565 para o total de 284 no comparativo entre os períodos de janeiro a dezembro dos anos de 2017 e 2018

Thaís Leite @_thaisleite | @_thaisleite

Os casos confirmados de dengue tiveram uma redução de cerca de 50% em 2018 na comparação com os doze meses do ano de 2017 no Vale do Paraíba.

O levantamento, que inclui as cidades de Guaratinguetá, Jacareí, São José dos Campos e Taubaté, revela o registro de 565 casos confirmados da doença no ano de 2017, para 284 reportados no ano passado.

A cidade que atingiu o melhor resultado em 2018 foi Guaratinguetá. O município de Frei Galvão não teve nenhum caso de dengue confirmado ao longo do ano. Em 2017, o cenário havia sido de 13 casos confirmados.

De acordo com a prefeitura, em quatro anos atrás, o número de confirmações da doença chegava a 1.179.

Em Jacareí, o número de casos teve uma redução de 38%, passando de 43 em 2017 para 27 no ano de 2018. De acordo com a prefeitura, as notificações da doença também sofreram redução: foram 867 em 2017 para 491 no ano passado. A maior epidemia registrada pela cidade foi no ano de 2015, quando foram registrados 4.356 casos da doença.

Já em São José dos Campos, a redução dos casos de dengue chegou a 45%, passando de 438 casos para 198 em 2018.

O número é o menor desde 2012, quando 154 casos da doença foram confirmados pela Vigilância Epidemiológica. De 2006 até 2018, o maior cenário já registrado na cidade foi em 2015, quando a prefeitura registrou 14.509 casos da doença.

Em Taubaté, houve redução de 12 casos no comparativo dos anos de 2017 e 2018, passando de 71 para 59 casos no ano passado.

De acordo com o CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo), desde o registro de cinco casos em 2009, o melhor resultado na cidade havia sido em 2012, com 62 confirmações da doença. Do outro lado, o maior número já registrado pela prefeitura foi em 2014, quando a cidade atingiu mais de nove mil casos confirmados de transmissão da doença pelo Aedes Aegypti..