Logo Jornal OVALE

Felicio ameaça devolver R$ 800 milhões do BRT e já cogita apostar no VLP

Exemplo de sistema de BRT
Prefeito de São José afirma que já estuda a devolução de uma parte ou a totalidade da verba para a Caixa Econômica Federal e que opção mais viável para o município hoje seria um VLP (Veículo Leve sob Pneus)

Caíque [email protected] | @caiquetoledo

O prefeito Felicio Ramuth (PSDB) descartou utilizar na totalidade os R$ 800 milhões previstos para o BRT (Bus Rapid Transit), cogita devolver toda a verba para a Caixa Econômica Federal e já pensa em alternativas para o sistema de transporte de São José dos Campos.

O tucano afirmou que ainda aguarda uma resposta da Caixa acerca do projeto, enviado com alterações no ano passado, mas afirmou que pensa em buscar outra opção, como o VLP (Veículo Leve sob Pneus).

Segundo Felicio, a atual linha de crédito não compensaria realizar o projeto nos mesmos moldes, e que a obra só usaria a totalidade dos recursos se fosse superfaturada.

"Estamos terminando as análises em relação ao projeto. Temos R$ 800 milhões com a Caixa, um recurso que só seria usado se fosse uma obra superfaturada, coisa que a gente não faz", declarou, em entrevista ao OVALE e para a SPRio .

"Provavelmente, parte desse recurso ou até mesmo todos esses serão devolvidos, porque são recursos que a linha de crédito não compensa como compensava", afirmou.

ALTERNATIVA.

Projetado inicialmente no governo Carlinhos Almeida (PT), o BRT também foi promessa de campanha de Felicio. "Desde a campanha disse que acredito em um VLT [Veículo Leve sob Trilhos] para ligar as cidades e também que se for optar por algo hoje é o VLP, sob pneus. Não poluente, a bateria, sem os fios atravessando...", destacou o prefeito tucano.

"O programa do BRT impõe uma série de restrições. A gente tem vários que não foram construídos, só prometidos e parados no meio, cidades que lamentavelmente não avançaram", disse. "Estamos acompanhando e estudando para fazer o melhor."

Em entrevista no fim do ano passado, o Felicio já havia afirmado que as perspectivas não eram boas de contar com o BRT no município. A prefeitura ainda aguardava aval do Ministério das Cidades e gostaria de incluir o projeto no novo contrato do transporte público, previsto para 2020.

"A cada dia o recurso a linha de crédito tem ficado mais caro, a gente tem que ficar atento a isso, se aquela linha de financiamento ainda é vantajosa", disse o prefeito na ocasião

POSIÇÃO.

A prefeitura informou à reportagem de OVALE, por meio de nota, que ainda aguarda uma resposta da Caixa à respeito dos projetos. Por outro lado, a Caixa afirmou nesta sexta que não tem novidades e que aguarda um posicionamento do governo sobre as próximas providências..