Logo Jornal OVALE

Salário médio no 'Top 10' das vagas de emprego abertas cai 19,2% no Vale

Saldo de novos empregos sai de -3.210 em 2017 para o resultado positivo de 2.861 no ano passado; salário médio das 10 carreiras que mais contrataram tem queda de 19,24%; montador de veículos foi quem mais perdeu vagas

Xandu [email protected] | @xandualves10

Boa e má notícia para quem procura emprego. Em 2018, a região contratou mais do que demitiu. O saldo dos novos postos de trabalho cresceu 2.861 no ano, bem melhor do que o resultado de 2017, quando a RMVale perdeu 3.210 vagas no mercado de trabalho.

Porém, o salário médio pago aos trabalhadores contratados no ano passado caiu 19,24% em relação a 2017.

No ano passado, o valor médio das 10 carreiras com o melhor saldo de emprego foi de R$ 1.373,04.

Já em 2017, o 'Top 10' pagou o rendimento de R$ 1.700,24, em média.

A perda é ainda maior considerando a inflação acumulada de 3,75% em 2018, o que diminuiu o poder de compra do salário do trabalhador.

CAGED.

O levantamento foi feito por OVALE com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

A explicação é que as carreiras com melhor saldo em 2018 exigem menor qualificação do que as de 2017 na mesma colocação.

No ano passado, apenas uma carreira (técnico mecânico) pagou acima de R$ 2.000 entre as 10 que mais geraram saldo positivo.

O rendimento médio da profissão foi de R$ 2.401,66.

Em 2017, o top 10 tinha três carreiras pagando acima de R$ 2.000: caldeireiro (R$ 2.565,96), montador de andaimes (R$ 2.451,05) e técnico mecânico (R$ 2.401,66).

Já o saldo acumulado do Top 10 cresceu entre 2017 e 2018, de 2.541 empregos gerados para 3.848, no ano passado. "É um dos efeitos da crise econômica, de reduzir o salário dos novos contratados", disse o economista Edson Trajano.

Carreira de alimentador de linha de produção tem maior saldo

As carreiras que mais geraram empregos em 2018 na RMVale, segundo o Caged,foram as de alimentador de linha de produção (1.764 postos de trabalho), faxineiro (629), auxiliar de desenvolvimento infantil (562), atendente de lojas e mercados (339) e auxiliar nos serviços de alimentação (153). Entre as 10 profissões que abriram mais vagas na região, a de técnico mecânico pagou o melhor salário médio, de R$ 2.401,66. Na contramão, as carreiras de montador de veículos (linha de montagem), almoxarife e supervisor administrativo perderam mais empregos: -465, -450 e -288, respectivamente.